BMW 620d Gran Turismo – o candidato executivo

by on 22 Abril, 2019 in Ensaios / Assessment

BMW 620d Gran Turismo – o candidato executivo

Convidámos Carlos Maia, Regional Director – Porto, da Hays Portugal, para realizar o assessment de umas das recentes propostas da marca BMW, para o mercado empresarial.

“Foi interessante o convite da Automotive para realizar este assessment, tendo em conta que esta Revista tem publicado todos os anos o nosso Guia do Mercado Laboral, com maior incidência no sector automóvel. A Hays tem expertise neste setor, onde inclusive temos participado nos encontros da AFIA, onde já estivemos; como oradores; como expositores. A minha expertise é no âmbito do recrutamento e seleção e não no teste de automóveis, mas tenho todo o gosto em dar a minha opinião deste modelo e também fazer um overview da nossa atuação no mercado e as recentes tendências.

Começo por enquadrar a região de abrangência do nosso escritório da Hays no Porto, que é responsável pelo território a norte de Coimbra. Temos consultores especializados em diversas áreas, onde trabalhamos com empresas que vão desde os 6.000 profissionais, até uma PME com 5 colaboradores.

Temos três grandes áreas de negócio: Executive Search, para quadros de topo; a área de Experts, onde recrutamos para todas as posições de middle e top management; e a Hays Response que está vocacionada para profissionais qualificados, mas cujo nível de experiência situa-se entre 0 e 5 anos.

Utilização da viatura

Em termos de utilização do automóvel da empresa, faço mais viagens longas, quer seja nas deslocações frequentes que realizado a Lisboa, quer em visitas a clientes, o nosso raio geográfico é muito grande. Percorro uma média de 30 mil kms/ano. Apesar da extensão territorial do escritório de Lisboa também ser abrangente, muito do negócio é concentrado na cidade. Já no caso da nossa delegação Norte, temos uma significante fatia de negócio no grande Porto, mas também em polos industriais como Braga, Aveiro, Viseu, Viana do Castelo, entre outros. Daí que a utilização da viatura é essencial para as visitas aos nossos clientes.

Na sua maioria, os candidatos deslocam-se ao nosso escritório no Porto, mas, com as ferramentas das novas tecnologias, já começamos a realizar algumas entrevistas por videoconferência, por exemplo, de candidatos que estão localizados fora do nosso país.

Quanto a este BMW 620d Gran Turismo, aquilo que sinto é que tem uma ótima condução, muito fluída, e a uma caixa automática que faz com que as mudanças engrenadas, sejam impercetíveis. A posição de condução e a visão que dá sobre o capot é diferente de outros modelos que já conduzi, pois este assemelha-se com mais um SUV, visto que estamos posicionados, ligeiramente mais altos.

Em termos de insonorização, diria que é um ambiente muito propício para o desenvolvimento de conversas de negócios, ou até de entrevistas com candidatos, pois dispõe de uma atmosfera interior bastante agradável. O espaço é o suficiente, e a visibilidade exterior é boa, apesar da tipologia desta carroçaria.

Os candidatos têm a primazia

Vivemos uma fase onde o candidato tem primazia sobre o mercado, em que existem mais empresas que estão dispostas a contratar do que candidatos a quererem mudar de função. No nosso Guia Laboral 2019 verificamos que cerca de 70% dos candidatos estão disponíveis para ingressar num novo projeto, e 80% das empresas estão dispostas a contratar. Esta decalagem traz novos desafios, principalmente na gestão dos candidatos.

No nosso caso específico, sendo uma empresa de recrutamento, os candidatos querem um parceiro de longo termo, em que possam confiar a gestão da sua carreira e a procura de oportunidades de uma forma criteriosa, de acordo com os parâmetros que eles definem, salvaguardando toda a confidencialidade.

O facto de existirem mais empresas a quererem contratar do que candidatos disponíveis, é um cenário onde as empresas de recrutamento fazem toda a diferença. Somos capazes de disponibilizar alternativas aos clientes empresariais. Muitos dos nossos clientes estão bem evoluídos naquilo que é a atração de talento, mas nós somos capazes de ir mais além, e disponibilizar alternativas em termos de qualidade e de competências de candidatos, e também em termos de fontes alternativas de recrutamento.

Visual executivo, condução potente

Quanto ao interior, este BMW 620 é espaçoso, principalmente para os ocupantes traseiros onde os bancos até reclinam um pouco. Tem o teto preto, o que não é habitual, mas fica-lhe bem. Verifiquei que tem um sistema de carregamento da bateria que aproveita a desaceleração. O ideal mesmo era ter uma motorização híbrida, mas a oferta do mercado em termos de modelos ainda é escassa.

Testei a condução em modo Sport, que aumenta a sensibilidade do volante e a reatividade do carro. O comportamento dinâmico é bom, nem nos apercebemos das dimensões do carro. O motor não parece um 2.0, e sim de maior cilindrada pela força e capacidade de reação que tem. Interessante o spoiler traseiro levantar quando as velocidades são mais elevadas.

Do ponto de vista estético, é um carro bem conseguido, com visual executivo, mas diria que a cor branca já passou de moda. Em todo o caso, o visual na sua globalidade é agradável, e os pneus de baixo perfil ficam-lhe bem e, pelo que pude experimentar, não comprometem o conforto e dão-nos confiança na condução.

Fator confiança

Voltando ao mercado laboral, e sobretudo em candidatos mais experientes, a confiança numa empresa de recrutamento é fundamental. Isto porque o candidato não se quer expor e mostrar ao mercado que está disponível para um novo projeto, e precisa de ter alguém que o possa representar, em quem confia, e que já o conheça.

Tenho candidatos que acompanho há mais de 10 anos, por exemplo, onde participei na entrada deles em funções operacionais e, agora, passados estes anos, já ascendem a cargos de diretores gerais. A confiança é um fator muito valorizado neste âmbito, e neste mercado.

O desequilíbrio que referi entre a oferta e a procura, está a aumentar a pressão sobre os salários. Há empresas que já estão a acompanhar esta tendência, mas existem outras que ainda não estão despertas ou sensibilizadas para este fenómeno, e daí a dificuldade em atrair talento. No nosso estudo, 52% dos profissionais inquiridos recusaram uma proposta de trabalho durante o ano de 2018.

Conclusões

A viatura para uso total é um benefício cada vez mais valorizado pelos candidatos e diria até que é o benefício mais valorizado no pacote dos fringe benefits. Discutiu-se muito que essa importância iria diminuir, aquando da implementação da tributação autónoma, mas o facto é que a valorização da viatura continua em alta, dentro da maioria das empresas em Portugal.

Assim, para atrair talentos é preciso cada vez mais um conjunto de benefícios, onde este BMW insere-se bem. É um modelo ideal para viagens longas, sendo que também se adapta ao ambiente citadino pela facilidade de condução. No entanto, tanto no mercado automóvel como no “mercado” de contratações de profissionais, não basta apenas ter um bom “produto”.

As relações desenvolvidas e a confiança gerada, são fundamentais para o sucesso de qualquer negócio. A Hays Portugal tem tido um percurso de sucesso fruto de muito trabalho dos nossos consultores e da confiança dos nossos candidatos e clientes, pelo que continuaremos a querer fazer mais e melhor no setor empresarial”, conclui Carlos Maia.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com