Ensaio do e.City Gold sobre o azul do Porto

by on 24 Abril, 2019 in Pesados

Ensaio do e.City Gold sobre o azul do Porto

A Revista Automotive testou o autocarro elétrico da Caetanobus, denominado e.CityGold, ao percorrer as principais ruas da Cidade Invicta.

Eduardo Gaspar, diretor da Automotive, realizou o ensaio do autocarro em condições reais de utilização e aqui transmite-nos as suas impressões deste teste.

“Começo por descrever algumas características técnicas deste autocarro construído em Portugal, onde a carroçaria é uma estrutura importante, face aos vários elementos que a compõem, desde painéis exteriores, estruturas laterais/ tejadilho em alumínio; a frente e traseira em plástico reforçado em fibra de vidro (PRFV), a estrutura da frente e da traseira, assim como o chassis, são montados em aço de alta performance.

O conjunto propulsor é composto por um motor síncrono de ímanes permanentes da Siemens, com 700V e 160 kW. As baterias são de Li-ion com autonomia para cerca de 120km, e estão colocadas no teto do autocarro – porque este é o local mais acessível para a manutenção ou troca das mesmas, do que se estivessem montadas na parte de baixo do autocarro.

Além disso, pela sua utilização urbana, estes autocarros estão mais sujeitos a raspar a parte de baixo em lombas, passeios, entre outros obstáculos. As baterias, ao estarem posicionadas na parte superior, ficam assim mais protegidas deste tipo de situações.

Outra particularidade interessante é que os cabos de alta potência só estão localizados no teto e descem para se conectar ao motor no último pilar do chassis, ou seja, a eletricidade está praticamente toda no teto. Isto diminui em muito o risco de, num embate, haver cabos que se danifiquem e passem eletricidade diretamente para os passageiros. Embora o sistema tenha corte automático de energia em caso de colisão. As baterias dispõem de um ar condicionado exclusivo para o seu arrefecimento. O ar condicionado para os passageiros é assim independente, e pode funcionar também com um gerador alimentado por biodiesel.

Em termos de dimensões exteriores, o e.CityGold mede 12 metros de comprimento e 3,20 mts de altura, e conta com 3 portas electropneumáticas de abertura para o interior. A lotação está dependente da configuração do autocarro, podendo ir até aos 88 passageiros. No nosso caso, a versão que testámos, estava configurada para 35 lugares sentados e 53 em pé.

Em movimento

Na posição de condução é possível ajustar todo o tablier em conjunto com a coluna de direção/volante. O painel de instrumentos é em parte digital, e apresenta em grande destaque a velocidade instantânea, bem como a percentagem de carga das baterias.

Para entrar em marcha, basta ligar o autocarro, colocar o seletor de mudanças na posição “D”, e retirar o pé do acelerador. O primeiro aspeto que se nota é que o motor elétrico proporciona uma circulação muito suave, e não se sentem as oscilações no veículo causadas pelas passagens de caixa de um motor a combustão. Nos motores a combustão, existem intervalos onde a gestão da caixa automática não é suave, e a caixa fica a comutar entre a 1ª e a 2ª velocidade, com os consequentes “solavancos” que daí advêm.

O ruído do motor elétrico é quase impercetível, o que proporciona um maior conforto a bordo. Cria uma desvantagem – os peões não conseguem ouvir o veículo a movimentar-se. Para compensar esse fato, o autocarro tem um aviso sonoro idêntico ao dos guarda-freios dos elétricos, sobre carris. Esse aviso é acionado pelo motorista, sendo muito útil no percurso citadino, principalmente em ruas de grande movimento pedonal.

Outro aspeto de grande utilidade é a câmara de filmar traseira que apresenta dois planos – um mais próximo do para-choques traseiro; e outro com um plano mais alargado, como se de um espelho retrovisor se tratasse. O display destas câmaras situa-se do lado superior esquerdo do motorista. Quando o autocarro está numa paragem e abre qualquer porta, o display mostra automaticamente a câmara de filmar da respetiva porta, e mantém o autocarro travado automaticamente, não sendo possível iniciar a marcha até que a porta esteja fechada.

Gestão da autonomia, binário e peso

O carregamento das baterias é feito quando pressionamos levemente o pé no travão. Quando retiramos o pé do acelerador, o autocarro começa a reduzir a sua velocidade, e quase não é necessário travar. A autonomia em vazio é quase idêntica ao do autocarro com lotação máxima, podendo alcançar até os 200 km.

Uma característica dos motores elétricos é terem o binário sempre disponível. Neste caso do e.CityGold, até aos 19km/h está “limitado”. A partir daí, o binário fica todo disponível. Porque se o binário estivesse todo disponível logo no arranque, corria-se o risco de os passageiros caírem todos, face à potência de arranque deste motor. Desta forma, obtém-se um arranque mais suave e progressivo.

Conclusões

O percurso realizado entre as cidades de Vila Nova de Gaia (sede da CaetanoBus) e Porto (com passagens pela avenida dos Aliados e algumas ruas do centro), permitiu testarmos em condições reais, as mais-valias deste autocarro elétrico. Além de ter todas as funcionalidades de um autocarro citadino com motor a combustão, o e.CityGold tem diversas vantagens que o posiciona como um autocarro de excelência para as carreiras urbanas, sobretudo para as frotas de médias dimensões.

Em termos de segurança, apesar de todo o peso das baterias estar localizado no teto, o autocarro não adorna nas travagens mais fortes, ou seja, não dá o chamado “beijinho” no chão. Para alcançar essa estabilidade, tanto o chassis como a suspensão foram desenvolvidas e adaptadas, para corresponderem à tipologia de distribuição de peso. O fato de ser elétrico, dá uma enorme vantagem a este autocarro nas manobras mais complexas, porque não existe o ponto de embraiagem nem os pequenos “solavancos” que um motor a combustão, normalmente costuma demonstrar, em manobras de maior complexidade.

É de fato o autocarro ideal para utilização nas cidades e nos grandes centros urbanos: para além de ágil, silencioso, utiliza energia limpa e zero emissões. Resta dizer que este autocarro elétrico foi construído nas instalações da CaetanoBus, com recurso a profissionais e tecnologia nacional.

O projeto do e.CityGold arrancou em força no ano de 2016 e, atualmente, já conta com várias unidades em utilização, sobretudo nas frotas nacionais das cidades de Aveiro e Braga e, no estrangeiro, nas cidades de Estugarda, Genebra Viena, Helsínquia e Amesterdão”, destacou Eduardo Gaspar.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com