Federal-Mogul em fase de mudança quer voltar a crescer

by on 4 Junho, 2018 in Pós-Venda

Federal-Mogul em fase de mudança quer voltar a crescer

Depois do recente anúncio da sua aquisição por parte da Tenneco, a Federal-Mogul volta a estar no centro das atenções do mundo automóvel.

No entanto, dias antes deste acontecimento, a Revista Automotive esteve em Espanha, para entrevistar David Zapata, diretor geral da Federal-Mogul Motorparts para a península ibérica que, nas linhas que se seguem dá-nos a sua visão quanto ao desenvolvimento das atividades desta empresa, no setor do pós-venda em Portugal e Espanha.

“Em termos genéricos, o desempenho da Federal-Mogul Motorparts no mercado ibérico foi muito positivo no ano passado, tanto em Espanha quanto em Portugal. Isto deveu-se ao melhor comportamento do setor de pós-venda nos dois países, mas também a uma evolução do volume de vendas dos nossos produtos e de uma melhoria de quotas das nossas diversas marcas de peças auto.

Concretamente em Portugal, apesar de registarmos uma ligeira redução em determinadas linhas de componentes para motores, o resultado global acabou por ser positivo, graças ao desempenho das nossas outras gamas de produtos. Esta ligeira redução de consumo da nossa linha de produtos para motores, deve-se ao espaçamento das reparações dos automóveis, já que hoje há um maior intervalo nas visitas aos concessionários e um menor consumo de peças nas reparações dos veículos.

Reparação está a mudar

Há uma série de fatores que estão a influenciar de forma muito rápida o desempenho das empresas que atuam no mundo automóvel, e estes fatores também alteram a tomada de decisão das multinacionais que são fabricantes de peças tanto para o primeiro equipamento quanto para o setor do pós-venda, como é o caso da Federal-Mogul Motorparts.

Se por um lado, o parque automóvel circulante ibérico particular está a envelhecer, por outro lado temos uma forte renovação deste mesmo parque face à renovação das frotas por parte das empresas em geral, das PME’s, às rent-a-car-, e também nas grandes frotas públicas, sejam elas de veículos ligeiros ou pesados.

Estas duas correntes, embora contrárias, acabam por possibilitar um equilíbrio de forças, o que permite manter o otimismo e a confiança dos profissionais do nosso setor. É por isto que assistimos a constantes investimentos da maioria dos fabricantes de peças em diversos pontos da Europa, sobretudo no tocante à melhoria e modernização das suas capacidades logísticas, uma área essencial para movimentar uma economia cada vez mais circular.

Assistimos à mudança do setor de reparação automóvel de forma muito mais rápida nos últimos 5 anos do que ocorreu nos últimos 20 ou 30 anos. Este processo faz com que todos aqueles que têm responsabilidades de gestão no mundo automóvel olhem com mais comprometimento estas transformações e atuem de forma mais assertiva e menos reativa nos seus negócios.

Também a questão das alterações que estão a acontecer nos motores em geral, estão a condicionar as tomadas de decisões de todos. Não está claro se o diesel irá acabar, se a gasolina será a melhor solução, se os motores a gás serão mais populares nos automóveis, se os carros elétricos alcançarão um número expressivo de utilizadores. Ainda subsistem muitas dúvidas.

As necessidades de mobilidade da sociedade de hoje e a forma como as empresas fazem a gestão das suas frotas, estão a alterar todo o mundo automóvel. Não há um fator isolado, mas sim um conjunto de situações e comportamentos que influenciam a gestão e comprometem os resultados do mercado como um todo.

Reposicionar as marcas

A Federal-Mogul Motorparts é fabricante de marcas históricas como, Ferodo, Moog, Beru, Jurid, Necto, Goetze, Payen, Wagner e Glyco, entre outras. Naturalmente temos uma grande presença na indústria automóvel como fornecedora de equipamentos de origem e também no mercado da reposição. A nossa responsabilidade é grande, pois Espanha, por exemplo, representa o quinto melhor mercado da nossa empresa em toda Europa.

Neste mercado, em particular, onde atuámos, estamos a reposicionar algumas das nossas marcas, quer em termos de preços quer em termos de alargamento da distribuição, como é o caso por exemplo da marca Champion que, com a incorporação da Bragalis como novo distribuidor, prevemos um incremento das vendas em 2018 desta gama em Portugal.

2017 foi um ano de transição da Champion, com a introdução alguns novos produtos, tornando o pack desta marca ainda mais completo e atrativo. O nosso plano estratégico está orientado para continuarmos a dar todo o apoio aos nossos distribuidores tanto em Portugal como em Espanha, através de parceiros de negócio como é o caso da empresa FCV Costa, um histórico representante da Federal-Mogul Motorparts em Portugal. São estes parceiros – os distribuidores – e os seus canais de venda que dinamizam o nosso negócio e é com eles que continuaremos a trabalhar com maior proximidade.

O mercado de peças de reposição na península ibérica está forte mas ao mesmo tempo muito competitivo. Existem muitos e bons fabricantes de peças e um vasto conjunto de distribuidores com grande tradição nos dois países. Sendo igualmente um fabricante de peças com escala mundial, a forma como a Federal-Mogul interage com os seus parceiros e a maneira como reposiciona os seus produtos e principais marcas, têm um impacto positivo para todos.

(leia o artigo completo na edição impressa da Revista Automotive)

Na imagem, Pere Banús, Ana Garcia Berrocal e David Zapata.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com