Ford Focus SW – utilização para além do essencial

by on 12 Agosto, 2019 in Ensaios / Assessment

Ford Focus SW – utilização para além do essencial

O Ford Focus SW apresenta-se confiante ao mercado frotista, tanto pelo nível de equipamento como pelos 125cv de potência disponibilizada pelo motor 1.0 EcoBoost.

Para realizar o assessment deste modelo, convidámos Ana Pinto, gestora de categoria da maior rede de supermercados nacional. Nas suas apreciações referiu que “a primeira coisa que notei ao ligar o carro, foi que o motor praticamente não faz barulho. Pensei que era elétrico ou híbrido. Só depois me apercebi que era um motor a gasolina. Tem um funcionamento muito suave e assim que conduzi os primeiros momentos notei que além de suave, o motor tem força.

Uma coisa que valorizo num carro deste segmento é a sua potência. Isso dá-me segurança da condução. Quando quero ultrapassar um carro ou sair de alguma situação, necessito que o carro responda de forma rápida e segura, algo que este Ford Focus cumpre à risca. Esta versão carrinha, dispõe de 4 modos de condução, mas no modo normal chega e sobra para o que utilizo e preciso no meu dia-a-dia. No percurso casa-trabalho, demoro cerca de 30min e não faço muitos quilómetros por dia. Grande parte do meu trabalho é feito no escritório, mas de vez em quando gosto, naturalmente, de fazer algumas viagens.

Dinâmica

É a primeira vez que conduzo um carro com caixa automática. Até me adaptei melhor do que estava à espera, e gostei de não ter de fazer constantemente o ponto de embraiagem. Uma coisa a melhorar neste Focus, seria o “botão” que gere a caixa de velocidades automática, onde temos mesmo que olhar para conseguir selecionar a marcha atrás. Numa inversão de marcha, por exemplo, leva-se algum tempo a fazer a manobra para trás e para a frente.

Como viatura de serviço tenho um modelo similar a este, ou seja, versão carrinha. Como referi, costumo fazer algumas viagens com o carro e daí ser importante o espaço interior. Além disso fui mãe recentemente, o que implica que necessito realizar o transporte de mais alguns acessórios do que o habitual.

Gosto dos vidros traseiros escurecidos deste Focus. Neste carro, o meu filho – que vai sempre no banco de trás – levaria com menos Sol. Principalmente em viagens longas a exposição ao Sol é grande, e apesar de temos acessórios para evitar isso, se o carro já vier preparado de origem, tanto melhor para o condutor e os seus ocupantes. Os vidros escurecidos conseguem também manter uma temperatura mais estável na parte de trás do carro, o que deve diminuir a necessidade de utilização do ar condicionado.

Em condução

O head up display é interessante porque tem bastante informação, mas é uma tecnologia que seria a mais para mim. O painel de instrumentos já apresenta informações suficientes. Em termos de alerta à condução, notei que quando circulamos 10km/h acima da velocidade máxima de uma determinada via, o painel evidencia a velocidade máxima permitida, a vermelho. Também avisa quando nos aproximamos muito do carro da frente. Uma função importante, no trânsito urbano e no pára-arranca.

Uma das coisas que destaco também na condução deste modelo é o alerta do ângulo morto, posicionado no espelho retrovisor. É útil e muito seguro. No meu carro, não tenho confiança no espelho retrovisor e muitas vezes olho rapidamente para o lado para garantir que não tem nenhum carro no ângulo morto. Uma distração que pode causar acidentes.

O ecrã central deste Focus está bem posicionado, pois consegui olhar bem para a estrada e acompanhar o sistema de navegação, sem distrações. Este ecrã apresenta bons gráficos e funciona por touchscreen. Outro aspeto a rever seria a elevada temperatura deste ecrã. Durante o assessment mantive o carro estacionado na sombra e conduzi sempre com o ar condicionado ligado no frio e, mesmo assim, passado algum tempo, o ecrã fica de tal forma quente, que é incomodativo tocar-lhe, dada a temperatura que atinge.

Além daquilo que já referi, outra das coisas que valorizo muito num carro é a posição e a sensação de condução. São dois pontos que aprecio muito neste modelo Focus. O volante apresenta um revestimento macio e a posição de condução é ótima. A forma e o desenho dos bancos, também contam. Já tive carros com bancos muito justos na base e nas costas, e faziam com que a condução não fosse confortável. Estes bancos do Focus são o oposto, ou seja, têm espaço de sobra e são muito confortáveis.

Potencial frotista

Este Focus SW vem bem equipado e dispõe de muitas extras. Já tive um carro de serviço que também trazeis equipamentos extras, pelo que habituei-me ao uso da câmara traseira, à tranca da porta sem chave, entre outras comodidades que depois é muito difícil prescindir, porque nos acostumamos com muita facilidade com elas.

Um exemplo disso é a abertura do porta-bagagens elétrica deste Focus. Outro pormenor interessante e prático deste carro, são as proteções da porta (retráteis!), que evitam riscarmos as portas quando são abertas, principalmente em parque de estacionamentos apertados.

Quando se pensa num carro de serviço, uma das coisas que se associa é que o carro só vai trazer o equipamento essencial. Aqui faço um paralelo com a minha profissão, onde exerço a gestão de categoria de bens essenciais (alimentar). Aquilo que procuro na minha atividade é ir para além do “essencial”, e disponibilizar os melhores produtos do mercado, a preços competitivos, para que os consumidores possam ter à sua disposição um leque o mais alargado, ampliando as opções de compra.

Assim, encontro neste Focus essa mesma preocupação de ir para além do “essencial”, com um carro que é agradável em termos estéticos, confortável na sua condução, e sobretudo com um nível de equipamento que satisfaz qualquer profissional de uma empresa, que o possa como carro de frota. É a primeira vez que conduzi um Ford Focus, e fiquei bem impressionada com a qualidade geral deste modelo, dinâmica e posto de condução, equipamentos e imagem”, concluiu Ana Pinto.

 

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com