KIA – gama renovada para frotas

by on 10 Abril, 2019 in Frotas

KIA – gama renovada para frotas

O Salão de Genebra marca o início do ano para muitas marcas automóveis; seja em termos de lançamentos; seja na apresentação de novas tendências e soluções tecnológicas. Este salão continua a ser um concentrado de informações e de contactos com decisores do mercado automóvel.

Neste contexto, a marca KIA apresentou em Genebra a sua tendência de eletrificação de alguns dos seus modelos, como é o caso do e-Soul, um automóvel posicionado no segmento dos crossovers, e que chegará a Portugal neste primeiro semestre do ano. Também o seu modelo NIRO foi alvo de evoluções nas versões híbridas e plug-in, o mesmo acontecendo com o modelo Optima SW PHEV. Destaque para o modelo XCeed, apresentado como sendo um SUV da gama Ceed e, ainda o modelo ProCeed, já à venda.

Para melhor entendermos o posicionamento desta marca no mercado nacional, a Revista Automotive entrevistou João Seabra, diretor geral da Kia Portugal, que falou sobre a renovação da gama e comentou sobre a estratégia delineada, para a dinamização das vendas no mercado automóvel em 2019.

“Começo por dizer que o nosso modelo ProCeed, recentemente lançado, é uma viatura shooting brake que visa dar uma maior pujança na gama Ceed. Sabemos que não será um modelo de volume, mas tem o seu papel de elevar a imagem da gama Ceed, porque as vendas às empresas, continuarão centradas nas versões de 5 portas e carrinha. No entanto, e apesar de termos previstos o lançamento de novos modelos e versões, o ano de 2019 poderá trazer alguns constrangimentos das vendas no mercado interno.

Ano de contrastes

Começamos o ano de 2019 com algumas incertezas no horizonte económico e uma mensagem de diabolização, dos carros equipados com motores a diesel. Fatores que em nada contribuirão para as vendas automóveis novos em geral, pois estão a criar mais dúvidas nos compradores e a reduzir o sentimento de confiança das pessoas e das empresas em geral.

Neste cenário de relativa incerteza, o carro a diesel continua a ser uma escolha racional para as empresas; quer pelas vantagens fiscais; quer pelo baixo custo de utilização em função das quilometragens realizadas por ano. A KIA dispõe de motorizações a diesel muito evoluídas nos seus modelos, e acredito que com o tempo, a mensagem negativa que se passou associada à utilização do diesel, irá esbater-se.

É preciso ter em consideração que as marcas em geral, onde naturalmente se inclui a KIA, não dispõem de uma capacidade de produção alargada de carros elétricos, plug-in ou híbridos para satisfazer, de imediato, uma eventual migração de compras dos carros a diesel para esta tipologia de motorização. Isto é um facto e não podemos deixar de dizê-lo.

Também o Estado, não tem condições de abdicar das receitas arrecadadas pelas vendas de carros com motorização convencional, por substituição de viaturas elétricas, que são isentas de alguns impostos, por exemplo. Basta referir que o orçamento fiscal para 2019 prevê arrecadar cerca de 800 milhões de euros em ISV – Imposto Sobre Veículos -, sendo que este montante dependerá do volume de vendas de automóveis novos que, na sua maioria, assentarão em motorização a diesel e a gasolina.

Os carros novos em geral, equipados com motorização a diesel, dispõem de tecnologia muito avançada e que continuará a evoluir nos próximos anos. Isto quer dizer que são automóveis, que ainda vão ter valorização quando passarem à condição de usados. O mesmo não devendo acontecer com os modelos elétricos usados, daqui a 3 ou 4 anos as vendas de carros elétricos subirão, gradualmente, mas continuarão a ser residuais por comparação com as motorizações a diesel e gasolina.

Evolução

A nossa marca ainda tem registado, nos últimos 2 anos, uma boa progressão no mercado nacional. Projetamos chegar em 2022, nos 3,5% de quota de vendas de carros novos no mercado nacional, com base no alargamento da nossa gama, diversidade de modelos, e amplitude de motorizações a diesel, gasolina, plug-in, híbrida e elétrica. A nossa presença no canal de frotas tem vindo a crescer.

No ano passado, os negócios às frotas representaram 35% das nossas vendas de viaturas novas, graças a um maior leque de modelos, evolução da qualidade dos nossos produtos, garantia de 7 anos e melhoria do nosso valor residual. Estamos a ter algum constrangimento de entregas por parte da nossa fábrica, dos modelos RIO e Stonic, o que de certa forma, estão a condicionar os nossos volumes de vendas às frotas.

Por fim, antecipo que alguns dos novos modelos KIA que lançaremos nos próximos meses, vão dispor de algumas motorizações eletrificadas, como é o caso do Sportage Híbrido, que deverá chegar ao mercado nacional logo a seguir ao Verão, constituindo uma boa opção para equipar as frotas em geral.

As escolhas das frotas continuarão a centrar-se em modelos abaixo dos 25 mil euros, por razões fiscais e, nos casos dos híbridos, abaixo dos 35 mil euros. A KIA está consciente disso e, por este motivo, dispõe de uma gama diversificada de automóveis equipada com motorizações ajustadas às capacidades financeiras das empresas e à tipologia de cada negócio”, salientou João Seabra.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com