Mercedes-Benz Classe B com posicionamento refrescado nas frotas

by on 10 Maio, 2019 in Ensaios / Assessment

Mercedes-Benz Classe B com posicionamento refrescado nas frotas

Isabel Azevedo, Presidente do Conselho de Administração da Fricon, realizou o assessment do novo Classe B, a proposta renovada da Mercedes-Benz para o mercado empresarial.

“Antes de mais, agradeço a iniciativa da Revista Automotive para realizar o assessment de uma viatura com posicionamento para as frotas, pois considero esta abordagem muito interessante para conhecermos o produto de forma dinâmica. Como não sabia qual carro iria conduzir; o primeiro contacto com este modelo, foi uma agradável surpresa.

Confesso que não sou grande fã do modelo Classe B, parece-me um automóvel demasiado clássico. No entanto, o “refresh” que a marca fez no Classe B, conferiu-lhe uma estética exterior mais atual e atrativa, tornando o seu visual mais alegre e jovial. A área automóvel não é a minha especialidade, mas sei que a Mercedes-Benz tem uma alargada gama de produtos desde viaturas ligeiras – com variadíssimos modelos – até aos furgões, autocarros e camiões.

A minha empresa, atualmente conhecida por Grupo Fricon, com sede em Vila do Conde, foi fundada pelo meu pai, Artur Martins Azevedo, que nos incutiu esse mesmo princípio da versatilidade. Na prática, apesar de sermos uma empresa familiar, seguimos uma estratégia baseada na flexibilidade industrial, fator que nos permite atender, de forma adequada, as solicitações e os projetos específicos dos nossos clientes, com qualidade, em tempo ajustado e de maneira eficaz.

Na área do frio, onde somos uma referência mundial, dispomos de um leque transversal de produtos que supre as tipologias dos mais variados de clientes, seja ele empresarial ou particular. A nossa gama é variada e diversificada: arcas frigorificas, armários de frio, conservadores de frio, ilhas de supermercados, entre outros; quer para o pequeno comerciante que precisa de um equipamento de frio compacto; quer às superfícies comerciais que necessitam de grandes áreas de frio. Os nossos clientes diretos são marcas do setor alimentar e bebidas, as grandes superfícies e redes comerciais.

Por dentro

Relativamente ao automóvel, começo por dizer que o tablier deste carro está muito bem desenhado, desde os botões até aos pormenores das condutas de ar. Este Classe B consegue um bom compromisso entre ser um carro compacto e ter muito espaço interior, incluindo o espaço de bagageira deste modelo.

Gosto também do fecho das portas, prático e silencioso. A qualidade dos materiais utilizados pela Mercedes Benz, na decoração e nos acabamentos de todo o ambiente a bordo, reflete-se em todos os pormenores. Na Fricon, também é a qualidade que nos move. Neste aspeto, por exemplo, temos equipamentos de frio para vinhos, conhecidos como wine cave onde o fecho das portas, pela sua precisão e baixo ruido, é muito similar ao de um automóvel premium. Os clientes valorizam tanto a aparência como o “toque” dos nossos equipamentos.

Condução

Ao conduzir este Classe B, sinto que o motor responde bem, mesmo no modo “confort”. A caixa automática de 9 velocidades é ótima, reage de forma rápida e com precisão às mudanças. A coluna central está elegantemente decorada, e o volante, multifunções, tem todos os comandos necessários a uma boa interação com o carro. Gosto da posição de condução mais alta, do que é habitual, e neste carro consigo tê-la, também gostei muito da precisão da direção. O painel de instrumentos é totalmente digital e é possível modificar toda a visualização, em função preferência do condutor ou dos passageiros.

Dispõe de uma série de sensores que monitorizam tanto a estrada, como o nosso estilo de condução. A utilização de sensores no nosso setor de frios também é cada vez maior, bem como a autonomização de processos pelos equipamentos. Contudo, o fator humano continua a prevalecer nas decisões. Por exemplo, temos equipamentos de frio com sensores que realizam automaticamente o descongelamento periódico, mas esse defrost só se inicia com a validação de um profissional habilitado. Vejo que o mesmo acontece neste carro, tem muita tecnologia à disposição, mas quem manda ainda é o condutor!

Consumo energético

Face às questões energéticas, o ideal para uma empresa seria poder dispor de uma versão do Classe B equipada com motorização híbrida. Mesmo assim, e pelo que pude verificar no registo do painel, os consumos apresentados neste nosso teste estão melhores do que estava à espera. Tal como os automóveis, a eficiência energética é um dos drivers do nosso desenvolvimento. Em termos de consumo energético, a refrigeração num ponto de venda representa cerca de 30% dos custos.

Desde uma pequena loja, até uma grande superfície, o custo energético tem grande impacto na gestão do negócio. Este é, para nós, um dos fatores de diferenciação onde mais investimos. Por exemplo, temos nas nossas instalações um dos laboratórios mais avançados do setor de equipamentos de frio, para testar todas as potencialidades e características diferenciadoras dos nossos produtos.

A qualidade dos equipamentos de frio tem um impacto imediato nos custos, mas também na qualidade e validade dos produtos alimentares. Quanto menor for a variação de temperatura, maior será o tempo de conservação dos alimentos. No meu entender, o mesmo acontece com os automóveis – quanto mais evoluídos e versáteis eles forem, mais tempo poderemos desfrutar da condução.

Versatilidade

Visto que já gostei da estética, posso afirmar que esta nova geração do Classe B apresenta uma boa versatilidade, o que possibilita ser utilizado por profissionais do setor empresarial, ou num contexto familiar. Na Fricon revemo-nos também nessas características. Diferente de uma fábrica automóvel, temos plantas produtivas com grande integração vertical. Esta integração vertical, permite-nos dispor de uma grande capacidade de adaptação aos clientes e em escala industrial. Pelo fato de controlarmos a maior parte das etapas produtivas, podemos a qualquer momento intervir e adaptar a produção, à realidade de cada cliente, em função de um produto mais específico.

Isso permite-nos produzir desde equipamentos de frio para interiores de lojas, como para soluções móveis para serem utilizadas nas praias, por exemplo. O mais recente exemplo disso foi o lançamento da nossa gama de equipamentos móveis para petfood, tanto de frio positivo como negativo.

Presença operacional

Na Fricon contamos com uma equipa produtiva com cerca de 260 trabalhadores em Portugal e, na unidade fabril localizada em Recife, no Brasil, com aproximadamente 800 funcionários. Também contamos, em Espanha, com uma filial comercial com armazém. Atualmente estamos presentes em 112 países e planeamos chegar, até ao final deste ano, aos 115, alargando a nossa presença nos 5 continentes. Para promovermos os nossos produtos e o nosso Grupo empresarial, participamos regularmente dos maiores salões internacionais da especialidade.

Contudo, e tal como nos automóveis, o serviço de pós-venda é essencial para a fidelização dos clientes. Sempre que planeamos entrar num novo país, o mais importante para a escolha de um parceiro é a sua capacidade de assistência técnica local. O acompanhamento dos clientes é muito importante. Por este motivo, trabalhamos com distribuidores locais que fazem todo o serviço de manutenção e reparação dos nossos equipamentos. Uma utilização inadequada dos equipamentos de frio, pode comprometer a qualidade dos alimentos colocados à venda.

Esta mesma filosofia é aplicada à frota de carros da nossa empresa. Trabalhamos com várias marcas automóveis e com diferentes modelos. No entanto, e para além da imagem de marca, qualidade de construção, equipamentos e versatilidade de um determinado modelo, o que mais valorizamos é o serviço de pós-venda da marca. Não podemos correr o risco de termos uma viatura imobilizada decorrente de avaria técnica ou acidente, e não dispormos de boa rede de reparadores autorizados da marca.

Posicionamento

Aprecio produtos premium e este Mercedes Classe B é claramente um carro que se posiciona, no seu segmento, pela qualidade geral. Em termos de posicionamento de preço, adapta-se à nossa fiscalidade e insere-se bem num contexto de utilização total da viatura em contexto de trabalho e família. É um carro que fica bem em qualquer frota e creio que, pela sua qualidade e valor de mercado, vale a pena uma empresa pagar pelo diferencial de preço, face a outros modelos de marcas mais generalistas.

No nosso setor já se ultrapassaram essas barreiras do preço. Há alguns anos, o que interessava aos clientes era adquirirem equipamentos de frios mais baratos, porque quem pagava a energia era o ponto de venda. Hoje, os pontos de venda preocupam-se muito com o tipo de equipamento que é colocado nas suas lojas e por isso os clientes procuram qualidade, uma boa rede de assistência técnica, adaptabilidade e eficiência energética.

Tendências futuras

Este Classe B disponibiliza tecnologias que aprecio, como os comandos de voz, entre outras aplicações de conectividade. De referir que também no nosso setor, o futuro passa pela telemática e conectividade. Os equipamentos de frio irão comunicar entre si, e também irão transmitir dados importantes da sua operação aos gestores do ponto de venda.

Os equipamentos permitirão também monitorizar a interação com o consumidor, por exemplo, quais os produtos que os consumidores mais retiram das prateleiras de frio, entre muitos outros dados que são possíveis extrair dessa interação, facilitando a gestão no ponto de venda e uma melhor reposição dos stocks.

Conclusões

Vejo assim muitos paralelos entre este Classe B e aquilo que é realizado na nossa atividade empresarial. Mais pessoas habitam nos grandes centros urbanos e, por isso, as marcas automóveis têm vindo a lançar mais modelos compactos, com maior espaço interior, conectividade e sistema de assistência à condução.

Esta afluência de mais pessoas e, por sua vez, de mais consumidores às grandes cidades trouxe ao nosso setor uma tendência do aumento dos pontos de venda de proximidade, o que nos desafia a conseguir colocar equipamentos de frio em espaços cada vez mais exíguos (sem instalação HVAC – Heat Ventilation and Air Conditioning), mas ao mesmo tempo, com maior capacidade de armazenamento, com características técnicas que permitam uma melhor interação com os clientes, e com um consumo energético mais reduzido.

Esta é a analogia que faço entre a minha atividade empresarial e as capacidades técnicas e de mobilidade do novo Classe B. A sua nova imagem, mais dinâmica e atual, trouxe um novo visual exterior e um agradável ambiente a bordo. Reúne características que valorizo num carro, como sendo o conforto, versatilidade, qualidade e segurança. Este Classe B tem todas características que ficaram bem patentes neste teste dinâmico nas estradas do norte de Portugal. Acredito que seja um modelo com grande potencial de vendas às empresas”, salientou Isabel Azevedo.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com