Microsoft – Inovar na tecnologia e investir na satisfação das pessoas

by on 8 Março, 2019 in Ensaios / Assessment, Frotas

Microsoft – Inovar na tecnologia e investir na satisfação das pessoas

Numa era onde muito se escreve sobre o BigData, a inteligência artificial e a automação, ainda existem empresas que valorizam a individualidade de cada pessoa. A Microsoft é o exemplo disso.

Convidamos João Araújo, gestor de frota da Microsoft para realizar o assessment de dois modelos de uma mesma marca, comentar a gestão da frota da Microsoft e partilhar connosco a cultura da sua empresa. Esperávamos um profissional totalmente focado na tecnologia, mas descobrimos um gestor que valoriza muito o capital humano e as relações sociais.

“Foi muito interessante o convite da Revista Automotive para sermos os primeiros a realizar o assessment de duas viaturas, de uma mesma marca, e partilhar um pouco da nossa cultura empresarial. Vai ao encontro aos nossos valores. Enquanto Microsoft sinto que temos uma cultura de abraçar novos desafios com otimismo e uma vontade de colaborar com a inovação em todas as suas vertentes. Isto sem qualquer pretensiosismo – é natural na nossa empresa essa abordagem evolutiva.

No âmbito da gestão de frotas, área da qual tenho responsabilidade, somos apologistas de carros híbridos e elétricos. Contudo, o mercado tanto em termos de disponibilidade de viaturas, como em termos de rendas mensais não tem sido propício a uma utilização mais abrangente desses modelos. Isso acaba por limitar as opções de aquisição das empresas, visto que as locadoras têm apresentado rendas ainda desproporcionadas para as viaturas elétricas. No que diz respeito aos híbridos, a disponibilidade de viaturas no mercado ainda é escassa, apesar de toda a comunicação feita à volta destes modelos.

Tanto as marcas automóveis; como as locadoras, ainda têm um caminho longo a percorrer na questão dos carros mais ecológicos, e na Microsoft estamos dispostos a caminhar lado a lado, nesse sentido, em direção ao futuro. Mas não nos limitamos ao mercado e às suas condicionantes – temos várias viaturas com propulsão alternativa na frota. Exemplo disso são a viatura da nossa Diretora Geral, que é um modelo diesel híbrido plug-in, e da nossa Diretora Financeira, que é um carro 100% elétrico.

Estamos a adquirir cada vez mais modelos híbridos plug-in para a nossa frota. São viaturas sempre bem acolhidas pelos nossos colaboradores. É um momento de viragem que estamos a dinamizar.

A questão ambiental está sempre presente na nossa gestão e outro exemplo disso é a nossa car policy que estipula – além de outros valores -, a aquisição de viaturas com emissões de CO2 abaixo dos 150gr/km.

Classe C Limosine

Passando então aos modelos para avaliar, começo com este Classe C, que é um carro bem construído, com todos os comandos próximos do condutor e uma confortável posição de condução. Tem as dimensões ajustadas e é muito fácil de manobrar. Além disso, disponibiliza um espaço interior suficiente para quatro ocupantes viajarem comodamente.

Uma das coisas que valorizo numa viatura é a visibilidade . Utilizo um monovolume e apesar das suas grandes dimensões, tem uma excelente superfície vidrada. Este Classe C, nesse aspeto, também está bem conseguido.

Em condução, este modelo é muito agradável e não é “seco” no que diz respeito à suspensão, mas também não é demasiado “mole” ao ponto de tornar a condução enfadonha. É um carro muito atraente do ponto de vista tecnológico e que cativa o seu condutor. A boa conjugação entre o motor e a caixa automática de nove velocidades faz com que os consumos estejam nos 5,1lt/100 km no percurso misto que estou a testar – o que é muito bom para este segmento de viaturas.

O teto de abrir já não é consensual. A quantidade de vezes que se pode utilizar versus o incremento que tem na renda mensal, pode não compensar. Por vezes o melhor é investir num pack tecnológico, na navegação e/ou num sistema de som. A câmara de filmar traseira tem uma excelente resolução, sem imagens pixelizadas, mas dadas as dimensões deste carro e a boa visibilidade que tem, quase dispensa este dispositivo.

O Classe C é um carro que cumpre aquilo que promete. Tem uma direção precisa, sendo que em alguns outros modelos de marcas premium a direção é demasiado assistida, o que dá a sensação de ter uma direção vaga. Aliás, uma das características dos modelos da Mercedes-Benz sempre foi a precisão da direção e a boa brecagem. É um construtor que tem inovado em termos de estética e de tecnologia, mas sabe manter as coisas boas do passado. Tem conseguido liderar o segmento premium em Portugal, com soluções sustentáveis nos novos produtos. Apesar de não ter um nível de desconto como outras marcas premium para o canal frotista, a Mercedes-Benz tem conseguido consolidar o seu caminho para a liderança.

Relação com o mercado

Estou a falar da Mercedes-Benz, porque é o carro que estou a testar, mas temos boas relações com várias marcas automóveis e a nossa frota é multimarca. Em termos de parcerias, temos trabalhado com as concessões do Grupo Salvador Caetano, onde temos conseguido níveis de qualidade e agilidade à altura das nossas expectativas.

Por exemplo, com a Caetano Star (concessão Mercedes-Benz, em Gaia), já existe uma experiência conjunta. Quando um colaborador nosso solicita uma cotação para um determinado modelo, os comerciais já sabem o histórico da nossa empresa. Somos muito precisos nas escolhas e, com base nesta relação comercial, conseguimos diminuir as ineficiências nas negociações. São profissionais que fazem de tudo para que os processos corram pelo melhor. Assim, ganhamos tempo e somos mais eficazes.

É importante otimizar ao máximo o plafond que cada colaborador tem para uma viatura da empresa. Por isso, temos de estar bem alinhados e atentos ao mercado. As locadoras têm campanhas de viaturas à semana, e assim um determinado modelo pode mudar de preço na semana seguinte. Isto implica em gerirmos as expectativas dos nossos colaboradores, que podem, na semana seguinte, ver cotações de valores residuais diferentes para a mesma viatura.

Por isso, temos de estar permanentemente em contacto com os comerciais e acompanhar os processos como um todo, mas diria que, acima de tudo, é preciso experimentar as viaturas. É necessário que haja “química” entre o condutor e o carro. Ter um carro implica numa relação com a máquina, que tem muito a ver com o toque dos materiais, posição de condução, entre outros aspetos. Tipicamente a escolha da viatura é decidida antes de se entrar num concessionário, porque já existiu um período de pesquisa de informações. Mas no experimentar é que está a diferença e por isso valorizo muito este trabalho da Revista Automotive, proporcionando aos profissionais das empresas uma avaliação dos diversos modelos.

Promover o conhecimento, liberdade e a eficiência

Costumo dizer que a escolha da viatura é um casamento a quatro anos, durante os quais se lida com o mesmo carro durante muitos momentos da vida profissional e pessoal. Daí promovermos o contato dos nossos colaboradores com as viaturas – é o lado humano e as preferências individuais que prevalecem neste campo.  O modelo de uma viatura a utilizar na nossa frota influenciará a satisfação e motivação diária dos nossos profissionais.

Os concessionários com quem trabalhamos disponibilizam test-drives de 24 horas para os nossos profissionais, por forma a que estes possam avaliar o modelo ao longo de vários quilómetros. Hoje em dia, com a evolução da indústria automóvel, não existem carros maus, mas é preciso adequar o carro à pessoa, às suas preferências e, obviamente, à demanda do seu trabalho.

Contamos com 380 viaturas na nossa frota, das mais diversas marcas, tipologias e modelos. Temos várias marcas premium, e vamos desde modelos Espace da Renault, passando pelos BMW série 4, Mercedes-Benz CLS, Audi Q7 e-Tron, entre outros. Não existe um padrão, pois é valorizada a liberdade de escolha dos profissionais, dentro das premissas da nossa car policy. O objetivo é que o funcionário se sinta satisfeito com a sua viatura e esta seja adequada às suas funções.

A decisão final será sempre do nosso profissional, a minha missão passa por ter conhecimento do mercado e conseguir encontrar opções que vão ao encontro da satisfação da nossa equipa, tanto na aquisição da viatura, como na sua utilização diária.

Por exemplo, criámos um serviço de mobilidade para os colaboradores, no que diz respeito às manutenções programadas das viaturas. Ou seja, os concessionários com quem trabalhamos recebem e entregam as viaturas nas nossas instalações, sem que o nosso profissional tenha que se deslocar: poupa tempo, aumenta a nossa produtividade e retira preocupações.

A Mercedes-Benz proporciona revisões mais espaçadas dos seus modelos, sendo em média uma revisão por ano. Outras marcas já podem ter duas idas à concessão por ano, uma para revisão e outra para inspeção técnica/atualização de software. Parece um pormenor insignificante, mas quando se multiplica pelas 380 viaturas da nossa frota, tem-se um problema em grande escala.

Todas as opções que tomamos têm em conta esta escala, porque qualquer pequeno desvio pode gerar grandes desvios e avultados prejuízos. O impacto de todas as decisões da frota é constantemente avaliado.

CLS 300

Voltando a falar dos carros, passo agora para o assessment do modelo Mercedes-Benz CLS 300. É um carro de excelência: a começar pelos acabamentos, com muita qualidade de construção e atenção ao detalhe, que antes só era possível num interior feito à mão. Isto valoriza ainda mais toda a tecnologia que dele transborda – o que é de facto notável.

Além disso, o CLS tem muita tecnologia partilhada com o Classe C, como os comandos no volante tipo touchscreen, o painel de instrumentos totalmente digital, os quatro modos de condução (Sport+, Sport, Confort e Eco), a caixa de velocidades automática com nove mudanças, entre outros aspetos.

Naturalmente, os modelos têm diferenças, mas o conceito em termos de habitabilidade é partilhado. O CLS já tem os comandos dos bancos embutidos nas portas, e uma envolvência diferente. Em experiência de condução o CLS transmite mais sensações ao volante, tanto pelas características da sua carroçaria, como pelo motor bem mais potente e responsivo. Este é também um modelo com expressão na nossa frota, pois é um carro bastante completo que combina o espaço interior abundante com um visual muito agradável.

Estamos também atentos à nova marca 100% elétrica da Mercedes-Benz, a EQ, que irá trazer muitas novidades para o futuro. Atualmente, estamos expectantes no que diz respeito à versão híbrida do Classe E, que poderá ser uma opção válida para nós, no âmbito da sustentabilidade, por significar menos emissões e mais inovação.

(Leia o artigo completo na edição impressa da Revista Automotive)

 

 

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com