NGK Ibérica – gestão, expansão e parceiros certos

by on 3 Maio, 2018 in Pós-Venda

NGK Ibérica – gestão, expansão e parceiros certos

Desde que assumiu a liderança da empresa, David Bassas deu um novo impulso aos negócios da NGK Ibérica. A Revista Automotive esteve em Barcelona, para conhecer o novo posicionamento e os resultados alcançados pela NGK, com a nova equipa ibérica.

“Estamos a registar o terceiro ano de crescimento contínuo das nossas vendas, em Espanha e em Portugal. O ano de 2017 revelou-se particularmente positivo para as nossas atividades ibéricas, sobretudo em Portugal, onde o nosso crescimento foi mais acentuado. Um resultado que nos enche de orgulho, mas que também acrescenta maior responsabilidade à nossa gestão para os próximos anos”, começou por dizer David Bassas.

“Essencialmente temos vindo a dinamizar as vendas dos nossos principais produtos, que são as velas de ignição, as bobinas e os sensores, produtos onde a NGK/NTK têm uma longa tradição de qualidade nestes dois países e onde atualmente conseguimos alcançar, com grande empenho da nossa equipa de vendas e dos nossos distribuidores, uma elevada quota de mercado.

Continuamos a manter a imagem da NGK associada a velas de ignição premium, mas também capitalizámos a atenção dos nossos clientes para os demais produtos do nosso portfólio, como as bobinas e os sensores. Como resultado, crescemos em todas as gamas de produtos, alavancando tanto as vendas como as nossas quotas nos dois países”, salientou David Bassas.

Fornecedor de referência

Parece ser uma receita simples de se aplicar, mas quando se olha para a panóplia de boas marcas existentes no mercado do pós-venda automóvel, é fácil de se perceber que para além de bons produtos, também existe uma dinâmica equipa comercial, que tem à frente, Carlos Garcia.

Para David Bassas “o facto de termos uma gama de produtos mais especializada num determinado segmento de negócio, também acrescenta valor à imagem e ao posicionamento das marcas NGK/NTK. Dinamizando as vendas de produtos com valor acrescentado, como são os casos das bobinas e dos sensores, possibilitou-nos alcançar uma melhor performance dos nossos negócios em Espanha e também em Portugal.

Tomando como base a excelente notoriedade da marca NGK no mercado das velas de ignição, soubemos transmitir este capital tecnológico para os demais produtos do nosso portfólio, ganhando a confiança dos nossos clientes, abrindo espaço para mais vendas por parte dos nossos distribuidores e parceiros de negócio”, exemplificou.

Aproveitar as oportunidades

A tecnologia e a reputação alcançada ao longo de mais de 80 anos de história como fornecedor de referência mundial para a indústria automóvel, em muito tem contribuído para a boa performance da NGK no mercado do pós-venda ibérico. David Bassas concorda com este posicionamento e acrescenta que “soubemos tirar partido desta posição cimeira e mantivemos firme a nossa estratégia de aproveitarmos as oportunidades existentes nos dois países para expandirmos as nossas vendas tanto das velas de ignição, onde já erámos fortes, e também de produtos mais específicos e tecnologicamente mais evoluídos, como são os casos das nossas sondas e bobinas.

Estamos a crescer no mercado ibérico dentro dos nossos clientes, isto quer dizer, que estamos a valorizar em primeiro lugar o trabalho comercial e a rentabilidade dos nossos distribuidores, pois são eles que chegam de forma mais capilar aos utilizadores dos nossos produtos. Claro que tudo isto tem por detrás uma equipa comercial da NGK ibérica bem formada e totalmente focada na atenção aos nossos clientes”, destacou.

Portugal é exemplo

Apesar de uma gestão ibérica, David Bassas faz questão de salientar que no terreno, a estratégia de vendas e de acompanhamento do negócio, é desenvolvida de forma distinta entre os dois países. “Pela sua tipologia e por ser um mercado bastante maduro, temos em Portugal uma gestão de maior proximidade com os nossos distribuidores, posicionados estrategicamente e que garantem uma cobertura nacional.

Na verdade, os nossos distribuidores em Portugal são verdadeiros parceiros do nosso negócio. Têm um peso significativo nos nossos resultados, trabalham com muito profissionalismo e, fruto das flutuações da economia, estão mais evoluídos no que toca à gestão e tecnicamente mais dedicados em satisfazerem seus clientes e os profissionais do pós-venda automóvel. Hoje Portugal é um bom exemplo no panorama europeu, em termos de crescimento e amadurecimento do mercado de pós-venda”, ressaltou.

Novidades na Automechanika

Num mercado onde a velocidade de mudança é uma constante, as marcas estão sempre a lançar novos produtos. Mas a NGK, sendo uma empresa com tradição japonesa, trabalha com visão de longo prazo, geralmente a 10 anos, o que não impede de também apresentar novidades na sua área de negócio.

“Teremos algumas novidades que serão apresentadas no Salão Automechanika em Frankfurt, sobretudo na linha de sensores”, adiantou David Bassas. “Queremos continuar a crescer nos produtos onde a NGK dispõe de uma tecnologia mais avançada. Os nossos engenheiros estão constantemente a analisar novas soluções, que chegarão ao mercado do pós-venda nos próximos anos, acompanhando a evolução da indústria automóvel.

Consolidar

As nossas previsões apontam para que o ano de 2018 volte a ser positivo para as nossas atividades ibéricas. Os lançamentos de novos produtos são importantes, mas também é importante consolidarmos o trabalho que já foi desenvolvido pela nossa equipa e pelos nossos distribuidores no mercado ibérico. Com base nos acordos já firmados com os nossos clientes, podemos olhar com otimismo a evolução do nosso negócio pelo que prevemos registar mais um ano de crescimento da NGK Ibérica.

Um aspeto importante e que gostaria de ressaltar é que a nossa logística de distribuição ibérica, com base no nosso armazém em Barcelona, beneficia-se de uma nova forma de gestão, que tornou todo o processo mais moderno, eficiente e célere. Também implementámos um centro de atendimento ao cliente, aqui na sede em Barcelona, com profissionais ajustados e orientados para o mercado português.

Hoje dispomos de um melhor serviço administrativo, de mais motivação interna e de uma maior atenção às atividades do marketing, onde o Carlos Garcia e a sua equipa, têm realizado um trabalho exemplar e com os melhores parceiros”, finalizou David Bassas.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com