Novo Renault ZOE – autonomia e energia limpa

by on 7 Fevereiro, 2020 in Ensaios / Assessment, Frotas

Novo Renault ZOE – autonomia e energia limpa

O lançamento de uma nova geração do ZOE, veículo «ponta de lança» da gama 100% elétrica da Renault, é um marco importante na estratégia do Grupo,que continua a inovar em termos de compromissos ambientais e soluções de mobilidade mais sustentáveis para o nosso planeta.

Sete anos após o nascimento do modelo que se tornou o citadino elétrico mais vendido na Europa, o novo Renault ZOE muda de dimensão em matéria de polivalência, qualidade e tecnologias, estando agora ainda mais acessível às frotas e ao setor empresarial.

A evolução do novo ZOE é visível, logo ao primeiro olhar. Embora mantendo uma silhueta urbana, alguns pormenores sobressaem como as novas jantes, que lhe conferem um aspeto ainda mais moderno. Mas é no seu interior onde surge a grande evolução. Um posto de condução, tablier e painel de instrumentos totalmente redesenhados e com materiais de qualidade proporcionam mais conforto e bem-estar a bordo.

No plano técnico, o novo ZOE disponibiliza mais autonomia, com uma bateria de 52 kWh que eleva o seu raio de ação até 390 quilómetros em ciclo WLTP; mais possibilidades de carregamento, com a introdução do carregamento em corrente contínua (DC); e ainda mais prazer de condução, graças a um novo motor, mais eficiente, com 100 kW de potência.

Por fim, o novo ZOE dispõe de inovadores equipamentos e serviços conectados com base no Renault EASY CONNECT. Desde os sistemas de ajuda à condução, até ao ecrã TFT de 10 polegadas, passando pelo sistema multimédia Renault EASY LINK, ou ainda o novo modo de circulação que facilita a condução na cidade, tudo foi pensado para proporcionar ao condutor e ocupantes do ZOE, qualidade, conforto, segurança e muito mais autonomia.

ENGIE – gigante da eletricidade

Para testar as inovações, evoluções e versatilidade do novo ZOE, a Revista Automotive convidou Marco Gil, Head of Procurement & Fleet da direção administrativa e financeira da multinacional francesa ENGIE, uma empresa de referência na prestação de serviços de eficiência energética e na operação e manutenção de instalações técnicas a clientes dos setores industrial e terciário.

A ENGIE Portugal assume-se como uma empresa de topo na transição energética, disponibilizando aos seus clientes soluções promotoras da sustentabilidade energética e ambiental, com o recurso a produção de energia térmica e elétrica por fontes renováveis, bem como distribuição e consumo eficientes. Por tudo isto, a análise que se segue é realizado por um profissional com grande valência na área das frotas e soluções energéticas.

“Já conhecia o Renault ZOE, num contacto que realizei com o modelo da anterior geração. Na altura, e na qualidade de membro do júri de uma gestora de frotas, informei aos responsáveis da marca alguns aspetos que não apreciei naquele modelo, sobretudo a qualidade dos materiais utilizados no seu habitáculo, o diminuto ecrã, o antiquado desenho do tablier e a fraca insonorização.

Agora, neste primeiro ensaio dinâmico que realizo com o novo ZOE a convite da Automotive, começo por referir que visualmente este modelo mantém a suavidade das suas linhas exteriores estando, contudo, mais atrativo com as novas jantes. Também noto que o conjunto luminoso em LED está mais moderno, e o logótipo da marca Renault aplicado sobre uma grelha cromada, são pormenores estéticos que lhe conferem um ar ainda mais jovem mantendo, contudo, a sua identidade.

Evolução interior

Inicio este ensaio na ENGIE em Alcântara, onde circulo por algumas ruas estreitas e com piso irregular, bem como por avenidas com muito trânsito e o habitual pára-arranca, até o nosso destino na Renault Chelas.

Neste percurso citadino, notei a existência de um pequeno ruido exterior produzido pelo ZOE, sempre que circulámos abaixo dos 30 km, som que desaparece quando passámos a andar, acima desta velocidade. Ao contrário do que possa parecer, não se trata de um problema de insonorização do ZOE. É uma solução de segurança da Renault para alertar os peões e evitar atropelamentos, visto que os veículos elétricos em geral, não emitem barulho como ocorrem com as viaturas equipadas com motores a combustão.

Saliento a grande evolução positiva no interior deste novo ZOE. De facto, para um modelo citadino, a qualidade de construção e dos materiais aplicados no habitáculo são de elevada qualidade. Muita harmonia, excelente posto de condução, fácil acesso aos comandos através do seu volante multifunções. Ressalto a maciez do volante e do tablier, bem como o novo ecrã táctil e o seu painel de instrumentos, totalmente digital e muito completo em termos de informação quanto ao nosso estilo de condução.

Frota diversificada

Sendo a ENGIE uma empresa de prestação de serviços na área energética e ambiental, era necessário ter no nosso país, uma pessoa que efetuasse a gestão da sua frota. Entrei para a empresa em 2011 para criar o departamento de compras.

Atualmente, sou responsável pelo departamento de compras e gestão operacional da frota, composta por cerca de 150 viaturas, das quais mais de 80% são veículos destinados aos nossos operacionais de campo e, os restantes modelos, destinados aos responsáveis de departamento e direções de topo, das 5 empresas que atualmente integram as atividades da ENGIE em Portugal, entre elas a Climaespaço, a Arclasse e a TrustEnergy.

Temos definido há já algum tempo um regulamento interno destinado a atribuição de viaturas, definimos um plafond de aquisição, as rendas mensais e, sobretudo, os níveis de emissões por cada viatura e para cada função sendo que, com a adoção da norma do WLTP, teremos de realinhar os níveis de emissões de cada utilizador da nossa frota a esta nova realidade. Na frota da ENGIE, cada funcionário assume um compromisso de sustentabilidade ambiental na emissão de CO2, na utilização da sua viatura.

Somos o maior grupo e o maior produtor privado de eletricidade do mundo, sendo também o maior importador de gás natural da Europa. Em Portugal, estamos muito avançados em termos de serviços e eficiência energética, nas áreas de manutenção, desenvolvimento de projetos de climatização empresarial e, mais recentemente, na venda, instalação e manutenção de postos de recarregamento de baterias automóvel.

Responsabilidade ambiental

Em todo o mundo, somos cerca de 160 mil profissionais e, até há bem pouco tempo, dispúnhamos de uma frota com aproximadamente 75 mil viaturas. Em Portugal contamos com uma equipa acima dos 600 colaboradores, que atuam nas diversas áreas de negócio da ENGIE, tendo à frente o nosso CEO nacional, Pedro Cruz. A nossa empresa é a segunda produtora de energia em Portugal, sendo que vendemos energia à REN.

Dispomos de 2 centrais termoelétricas (no Pego e da Tapada do Outeiro), em joint-venture (com a empresa japonesa Marubeni) e 12 parque eólicos em Portugal. Recentemente, adquirimos 6 barragens à EDP, localizadas na região do Douro. Por tudo isto, a ENGIE é uma empresa com escala global na área da eletricidade e eficiência energética e, naturalmente, a utilização do automóvel elétrico na nossa frota, faz todo o sentido, pois temos um compromisso de alcançar a plena utilização da energia limpa.

Funcionalidade do ZOE

Voltando ao ZOE, apesar de ser uma viatura com um grande historial e com provas dadas em termos de vendas, noto que a atual geração incorpora um toque de bom gosto na qualidade geral de construção e, sobretudo, na melhoria da dinâmica da sua condução.

A questão da autonomia num veículo 100% elétrico é importante (neste novo ZOE, a Renault anuncia até 395km em ciclo combinado e 558km em ciclo urbano WLTP, ndr.), mas não é tão crucial como se faz acreditar. O essencial é uma boa e ampla rede de carregamento nacional.

É público que a Renault está a reforçar os pontos de carregamento para automóveis elétricos nos seus concessionários. Isto é uma demonstração de que para ser um bom líder, também é preciso dar bons exemplos. Em termos de mobilidade e sustentabilidade energética, a Renault também está no bom caminho. Por isso, considero oportuno deslocarmos até às instalações do seu maior concessionário em Portugal, a Renault Chelas, para conhecermos de perto este ponto de carregamento.

Carga acelerada

Aproveito para referir que, em termos de postos de carregamento para veículos elétricos, a ENGIE faz a instalação o equipamento EVBox, destinado aos automóveis eletrificados que, através de um acordo internacional, já está presente em diversos concessionários de algumas marcas automóveis, um pouco por toda a Europa, incluindo Portugal.

A questão da mobilidade e da autonomia, como referi anteriormente, tem de estar agora focada no âmbito dos pontos de carregamento, pois o número de veículos está a aumentar em Portugal e, para evitarmos constrangimentos às empresas que queiram eletrificar as suas frotas, há que se investir numa maior e melhor rede de pontos de carregamento das baterias.

O ZOE, para além de tudo aquilo mencionei anteriormente, tem um poder de aceleração exemplar com os seus 135 cv. A autonomia melhorou e noto que pelas informações transmitidas no painel de instrumentos que o consumo foi otimizado – 19,3 kWh/100km – um bom valor dadas as circunstâncias deste teste.

Resumo

Notei uma grande melhoria em termos de insonorização do ZOE, o interior é completamente novo, moderno, visualmente melhor, a manete de mudanças é muito agradável e bem posicionada, o ecrã é bem informativo (sistema multimédia EASY LINK com ecrã tátil de 9,3”), completo e de fácil utilização e a resolução da câmara traseira é de elevada qualidade. Deixo uma pequena nota à marca, quanto ao bocal de encaixe frontal de tomada que, pela sua forma de montagem, poderá danificar-se com o fecho da tampa.

Os sistemas de assistência à condução e de travagem regenerativa são essenciais, sendo que o modo B acentua a desaceleração do veículo, permitindo-lhe um menor recurso ao pedal de travagem e uma condução descontraída. O conforto do ZOE, com os bancos aquecidos à frente, estão acima de muitos modelos do segmento premium. Por fim, o sistema de som Bose que equipa este ZOE, aliado com o silêncio e o conforto interior, nos transportam para uma outra dimensão de mobilidade automóvel.

Obrigado à Automotive pela oportunidade de testar este novo ZOE, que superou as minhas melhores expectativas e permitiu modificar a minha anterior opinião deste modelo elétrico da Renault”, salientou Marco Gil, da ENGIE Portugal, na foto com Francisco Mendes, chefe de equipa de Vendas da Renault Chelas.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com