Novo Volkswagen Passat – Reforço a meio da época

by on 16 Outubro, 2019 in Frotas

Novo Volkswagen Passat – Reforço a meio da época

Por: Rui Reis

Um reforço significativo do conteúdo tecnológico e uma relação preço/equipamento ainda mais atrativa tornam o renovado VW Passat ainda mais apelativo. E o mercado de frotas é um alvo inevitável…

As subtis alterações de índole estética “escondem” a verdadeira natureza e importância das novidades que este renovado Passat acrescenta ao segmento. Como sempre, o Passat está disponível nas variantes Limousine e Variant, mas passa a ter três novos níveis de equipamento nas versões apenas com motores de combustão e mais dois níveis específicos do apetecível híbrido plug-in GTE.

Assim, a gama do renovado VW passa a incluir os níveis Passat, Business (desenvolvido a pensar nas frotas) e Elegance, enquanto o híbrido Plug-in se desdobra nas versões GTE (jantes de 17” e suspensão convencional) e GTE+ (com jantes de 18” e suspensão pilotada).

Comum a todos os níveis de equipamento é o importante reforço da dotação de série, tanto nos itens de conforto e segurança como, e acima de tudo, no conteúdo tecnológico. Esta é, aliás, a grande aposta da marca, que não esconde a ambição de tornar o renovado Passat o porta-estandarte do segmento na oferta de tecnologia.

Entre as principais estreias destacam-se o novo sistema MIB3, uma nova geração de infotainment com cartão SIM integrado que permite manter uma ligação permanente online e o acesso alargado a todas as funções VW We (Connect, Park, Deliver), o Travel Assist que, pela primeira vez no Passat, oferece uma condução semi-autónoma até uma velocidade máxima de 210 km/h, o sistema de iluminação LED IQ.Light Matrix, que foi estreado no atual Touareg, ou o “We Connect Fleet” que monotoriza, entre outros, o consumo de combustível e a gestão de manutenção “Service Manager”, de particular relevância para as gestoras de frotas.

Igualmente curiosas são soluções como o Mobile Key, que permite acionar as portas e até a ignição remotamente para um total de até seis utilizadores, ou o volante capacitivo que consegue, através do toque, perceber se o condutor está a manter um controlo seguro do automóvel ou não.

Ao nível de motorizações, as novidades não são muitas, exceptuando o GTE que viu a autonomia no modo elétrico ampliada para os 55 km no ciclo WLTP (80 km no antigo ciclo NEDC), o que representa um ganho de 40%.

As variantes híbridas Plug-in GTE são, aliás, outra das grandes apostas da marca. Não só pelas mais valias técnicas que referimos, como pelo acréscimo de eficiência proporcionado, mas, até do ponto de vista da economia de utilização, pela significativa baixa de preço face à geração anterior, o que permite manter o preço do Passat GTE limousine nos 44 981€, (abaixo dos 35 000€ sem IVA) garantindo uma tributação autónoma (para as empresas) de apenas 10%.

As outras apostas são o 1.5 TSI de 150 cv (desde os 29 676€), o 1.6 TDI de 120 cv com caixa DSG (36 105€) e os 2.0 TDI de 150 cv Business com caixa manual (38 055€) e DSG (40 487€). No topo da oferta, mas com vendas mais residuais, está a versão 2.0 TDI de 240 cv de 64 204€.

No caso da Variant, terá de contar com um acréscimo de preço a rondar os 3 a 4 mil euros, dependendo da versão.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com