Peugeot 3008 – Um patamar acima nos SUVs

by on 3 Fevereiro, 2017 in Frotas

Peugeot 3008 – Um patamar acima nos SUVs

Antes da sua estreia mundial no Salão de Paris, a Peugeot ousou apresentar de forma dinâmica o novo modelo 3008, um SUV que rompe com o passado e abre portas para um futuro cada vez mais promissor para a marca.

A Revista Automotive esteve em Bolonha, para conhecer de perto o SUV com ambições de ser a nova referência do mercado.

Gaetan Demoulin, responsável da comunicação de produtos da Peugeot revelou, na ocasião, os três vetores estratégicos que guiaram a Peugeot no segmento dos SUVs. O primeiro é o denominado Move Upmarket Strategy, direcionando a gama de produtos para um segmento superior de clientes. Tendo em conta que as versões superiores de equipamento dos modelos Peugeot (Allure, GT Line e GT) representam 44% das vendas na Europa, investir numa clientela que compra o segmento superior significa equipar bem os modelos da marca.

O segundo vetor é um programa ambicioso de uma gama alargada de modelos SUV em todo o mundo. Através do lançamento de 5 modelos SUV (incluindo o mercado Chinês com o modelo 4008) neste ano de 2016, a Peugeot pretende ter presente em todos os continentes a sua gama SUV. Para se compreender a importância do segmento na Europa, 1 em cada 10 veículos na Europa já é crossover e 1 em cada 4 são SUV.

O terceiro vetor é assegurar um sucesso internacional. Além da presença nos vários continentes, é estratégico que os modelos SUV da Peugeot tenham sucesso nas vendas de forma global. Tal poderá catapultar a marca para um patamar mais elevado no posicionamento das marcas generalistas. Para isso, o modelo 3008 apresenta-se como porta-estandarte da marca, tentando oferecer uma experiência diferenciada ao volante, com muita tecnologia de animação gráfica, mas também prática.

Exemplo da tecnologia prática é o pneu Slimline que equipa o 3008, desenvolvido em conjunto com a Michelin para a medida 205/55 R19 (jante de 19 polegadas), sendo um pneu mais fino para poupar nos consumos de combustível, ao mesmo tempo que assegura uma boa performance na condução em piso todo o terreno.

Motorizações, consumos e emissões

Em termos de motores, a gama do 3008 apresenta-se apenas com uma motorização a gasolina e três a diesel. Na gasolina, o motor disponível é o 1.2 PureTech com 130 cv, bloco que foi galardoado com o prestigiado prémio International Engine of The Year Award 2016. Quanto às motorizações diesel, o motor 1.6 BlueHDi apresenta-se com 130 cv, enquanto o bloco 2.0 BlueHDi disponibiliza duas potências, 150 ou 180 Cv. Ambos os motores a diesel podem ser equipados com a caixa de 6 velocidades automática denominada S&S EAT6.

Consciente da crescente desconfiança do mercado nos valores apresentados pelas marcas automóveis, a Peugeot apresentou os seus valores de emissões de CO2, sob a chancela da certificação do Bureau Veritas. Interessante também verificar a apresentação de consumos com base num teste de condução real, em cooperação com duas organizações não-governamentais, a Transport & Environment e a France Nature Environment. Estes testes reproduzem condições reais de condução, incluindo passageiros e bagagens a bordo bem como utilização dos sistemas de ar condicionado.

Mercado nacional

Vítor Martins, diretor de marketing da Peugeot Portugal, enquadrou melhor o lançamento deste novo 3008 em Portugal. “Em termos de mercado automóvel em geral, o segmento C tem aumentado a sua importância e o segmento dos SUV’s tem mantido a tendência de crescimento. O segmento das “carrinhas” tem perdido para as berlinas e para os crossovers. O 3008 surge assim como um modelo direcionado para o segmento que mais tem crescido em Portugal segmento onde a Peugeot, com este novo modelo, ambiciona ser o número 2 em termos de vendas.

Ao contrário de outras marcas automóveis, o mercado português foi tido em conta no desenvolvimento do Peugeot 3008. A altura do capot tem assim menos de 110 cm de altura, sendo, portanto, classe 1 nas portagens, tal como o novo Peugeot 5008 também o será. Um argumento importante para os concessionários oficiais.

Em termos de mix de vendas, a Peugeot prevê que 92% sejam dos modelos a diesel e 8% a gasolina, quanto às transmissões 85% com caixa de velocidades manual e 15% com caixa automática, sendo que 50% das vendas do 3008 deverão ser para empresas, nomeadamente as frotas”, salientou.

Print article