Renault – superar na razão e também na emoção

by on 13 Abril, 2018 in Frotas

Renault – superar na razão e também na emoção

Com a responsabilidade de quem está na liderança de vendas em Portugal, há 20 anos consecutivos, a Renault foi a Genebra demonstrar que ainda tem muitas (e boas) opções para disponibilizar ao mercado, desde os elétricos até ao Alpine.

Prova disto foram as apresentações da gama de veículos elétricos com destaque para a nova geração do Renault ZOE Z.E. 40 C.R, viatura elétrica que continua a ser líder de vendas em Portugal e na Europa, disponibilizando agora tempos de carregamentos que chegam a ser cerca de 30% inferiores em relação à geração anterior.

Ricardo Oliveira, diretor de comunicação da Renault Portugal, em declarações à Revista Automotive, disse em Genebra que “ este ano será de transição para a nossa marca, com poucos novidades, visto que renovamos praticamente toda a nossa gama de veículos ligeiros nos últimos dois anos e meio, pelo que temos uma das gamas mais atualizadas à venda no mercado nacional. Apesar disso, note-se que este ano estamos a lançar a Renault Master Z.E., completando a nossa gama de veículos comerciais elétricos.

Quando muitos construtores se apresentam aqui em Genebra com modelos protótipos e concepts elétricos, é importante dizer que a Renault já comercializa carros elétricos há vários anos, sendo este um vetor estratégico para a nossa marca. Em 2011 lançamos o Kangoo elétrico em Lisboa, para além de outros modelos, sendo que os resultados de vendas é uma realidade em grande escala. Veja-se a recente operação de entrega de mais de 100 veículos elétricos à empresa Águas de Portugal.

O Renault Master Z.E. deverá estar disponível em Portugal no segundo semestre deste ano, estando direcionado para uma clientela específica que é a distribuição citadina. Este ano, também iremos realizar a apresentação, em Portugal, do modelo Alpine que é mais do que um modelo, é uma marca inteira.

Alpine – o ícone em Portugal

O modelo Alpine registou uma das mais fascinantes histórias da Renault e da competição automóvel em todo o mundo e, agora, com o relançamento da marca, queremos dar a conhecer às gerações mais novas todo o potencial dos seus modelos. A marca Alpine será sempre uma marca com toque de exclusividade, daí termos apenas um concessionário em Portugal, que é a Renault Retail Group de Chelas, que foi re centemente renovado para acolher, em ambiente moderno e com identificação específica, a marca Alpine.

Queremos que a Alpine seja uma marca que transmita às gerações mais novas não somente a evolução e competência da marca Renault, mas também da própria história da indústria automóvel. Por este motivo, ela gozará de um espaço e identidade própria, sendo que o objetivo é que eleve os patamares da Renault através do simbolismo e historial deste verdadeiro ícone do mundo automóvel.

Não temos pressa e sabemos que em 2018, para mantermos a nossa posição de liderança, teremos que contar com a força da nossa atual gama de veículos. Recordo, entretanto, que o modelo mais antigo que temos à venda é o Twingo, que foi lançado em 2014, por isso temos uma gama bastante renovada. Todos os outros modelos já foram objeto de restyling ou são modelos novos. Mesmo assim, ainda teremos um grande lançamento para este ano, que será o Dacia Duster, embora ainda não seja possível anunciar uma data em concreto”, revelou Ricardo Oliveira.

Para as empresas, e sobretudo para os quadros médios e superiores, a Renault reforçou o seu produto Talisman com adição da versão S-Edition, tornando-o mais exclusivo e mais elegante, sendo ainda o primeiro modelo da marca equipado com o novo motor a gasolina 1.8 TCe de 225cv. Também inclui o controle de amortecimento 4-Control e as novas jantes de alumínio de série. O Talisman S-Edition estará disponível na Europa a partir de setembro de 2018.

Motores a gasolina

As notícias vindas da Alemanha, quanto à decisão de dificultar a circulação de determinados modelos com motorização a diesel, também foi muito falada entre os responsáveis das marcas em Genebra. Sobre este tema, Ricardo Oliveira comentou que “face à sensibilidade dos clientes relativamente aos motores diesel, o que notamos foi uma mudança abrupta para as motorizações a gasolina. Essa mudança só não se refletiu drasticamente nas nossas vendas devido às frotas, onde a Renault tem uma posição de destaque em Portugal”, salientou Ricardo Oliveira.

Por sua vez, Xavier Durand, engenheiro responsável pelos projetos de motores da Renault, declarou que “tendo em conta esta tendência europeia de diminuição dos motores diesel, o resultado da aliança entre a Renault e a Daimler, permitiu apresentarmos em Genebra o mais recente resultado desta colaboração, ou seja, o motor 1.3 TCe a gasolina de quatro cilindros, que fará a sua estreia no Renault Scénic e Grand Scénic, com caixa de velocidades manual.

É o resultado de quatro anos de estudos, e representa o mais alto standard de ambas as empresas o que diz respeito á qualidade e fiabilidade. Estará disponível nas versões 115, 140 e 160cv, e reduz as emissões de CO2 em cerca de 5,5% no Scénic e 8% no Grand Scénic. Produzido em Valladolid, Espanha, este bloco posteriormente irá equipar os modelos Captur e Mégane, bem como alguns modelos da Mercedes-Benz.

Mais do que um novo motor, o 1.3 TCe marca o ponto inicial numa nova gama de motores. Ele foi desenvolvido para disponibilizar uma evolução em termos de potência e maior eficiência na questão dos consumos e das emissões. Será adaptado a todos os novos modelos da Renault e Nissan do segmento B (Clio/Captur) até ao segmento D (Talisman/ Espace), e também aos modelos compactos da Mercedes-Benz”, afirmou.

Print article

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com