Scania – “a eletrificação existe, mas ainda não é o caminho”

by on 16 Novembro, 2018 in Pesados

Scania – “a eletrificação existe, mas ainda não é o caminho”

A Automotive entrevistou Christian Levin, Executive Vice President & Head of Sales and Marketing da Scania que nos explica a performance da marca em termos das vendas, e a estratégia da desta marca do Grupo Traton, para as propulsões alternativas

“Começo pelas vendas. Este ano tem sido o mais espetacular e difícil ano para mim, enquanto responsável pelas vendas da Scania. Tudo tem acontecido num curto espaço de tempo. Lançámos, recentemente, a nossa nova geração de camiões, inaugurámos a nossa maior fábrica do grupo na Holanda, e apresentámos a nova gama urbana com a cabine L.

Temos tido uma grande ofensiva de produtos e nunca vendemos tantas unidades em tão pouco tempo como neste ano, o que significa que os clientes estão muito satisfeitos com os nossos produtos. Temos também uma carteira de encomendas de cerca de 45.000 camiões, o que é excelente! De janeiro a setembro deste ano, por exemplo, registamos vendas globais de 68.640 unidades, o que significou um crescimento de 7%, face a igual período de 2017.

Por outro lado, temos tido imensos problemas com os motores V8, nomeadamente com os nossos fornecedores dos blocos do motor, que simplesmente não conseguem entregar-nos os blocos. O V8 é o nosso produto de maior prestígio e ter parado a produção por 3 meses foi, para nós e para os nossos clientes, um momento para esquecer. Também temos tido muitos problemas na cadeia de distribuição, algo que acontece de 20 em 20 anos sempre que renovamos toda a gama, e estamos a sofrer disso neste momento.

Também tem sido um ano de grandes desafios. Naturalmente que estou muito contente com as nossas vendas, mas, por outro lado, não estou nada contente com a nossa quota de mercado. A quota de mercado reflete os nossos problemas nas entregas, mas estamos a trabalhar para que no último trimestre deste ano consigamos normalizar as diversas situações, e que os clientes possam finalmente disfrutar da qualidade dos camiões que compraram à Scania.

Os clientes estão extremamente satisfeitos com os consumos dos nossos modelos, e por isso que continuam a comprar Scania. No entanto, para uma compra feita em setembro de 2018, estamos a estimar entregar em abril de 2019. É demasiado tempo, não estamos contentes, e sei que os transportadores não podem esperar. Tudo iremos fazer para resolver esta situação o mais rapidamente possível.

Motorizações alternativas

Continuamos a acreditar nos motores diesel. No entanto, desde há muitos anos que temos motorizações a Etanol nos blocos de 9 e 13 litros. Todos os nossos motores, desde os camiões aos autocarros, desde os blocos de 9 litros até aos grandes V8, podem funcionar com Biodiesel, HVO (Hydrotreated Vegetable Oil), ou com mistura de Biodiesel com diesel. São por isso motores extremamente flexíveis.

Adicionamos, recentemente, uma gama de motores a gás (camiões e autocarros), com os blocos de 9 e 13 litros, com binários iguais ou superiores aos motores diesel. É importante realçar que estes motores a gás não são motores diesel convertidos. São motores desenvolvidos de raiz para otimizarem ao máximo a utilização do gás, seja ele GNC/GNL ou Biogás.  Apresentamos aqui no salão de Hannover o nosso primeiro autocarro a GNL (ou Biogás Liquefeito), com uma autonomia de, no mínimo 1000 quilómetros. Será um trunfo importante para a indústria do turismo, porque com esta autonomia o autocarro não está tão dependente da rede de abastecimento de GNL que ainda é escassa na Europa.

A eletrificação está a acontecer na Scania. Temos uma gama de motores híbridos, com grande sucesso nos autocarros, especialmente em Espanha. Na experiência que temos em Madrid, os autocarros híbridos poupam cerca de 20% de combustível, o que é assinalável. Lançámos neste salão uma propulsão inédita na Scania, um híbrido plug-in, para os camiões. Com isto conseguimos cerca de 40km de autonomia em modo 100% elétrico, o que é suficiente para uma utilização noturna em cidade, por exemplo, na distribuição urbana, recolha de lixo, entre outros.

Veículos elétricos

Sobre os camiões 100% elétricos, todas as outras marcas dizem ter, mas nenhuma iniciou a produção desses modelos em série – o que vemos são protótipos a circular. Enquanto Scania, só iremos divulgar aquilo que sabemos e que conseguimos produzir. Por exemplo, estamos a entregar os nossos primeiros autocarros 100% elétricos, na Suécia e Suíça, países de elevado rendimento per capita. Estes autocarros são caros e acreditamos que o custo das baterias deverá diminuir, para que se torne um produto competitivo em outros países europeus.

Investimos recentemente numa empresa de produção de baterias na Suécia, pois verificámos que o mercado estava a desenvolver baterias apenas para veículos ligeiros de passageiros, e os veículos pesados necessitam de uma abordagem completamente diferente no que toca às baterias.

Estamos a dar passos importantes no sentido da eletrificação, mas sabemos que esse não será o único caminho no futuro. Acreditamos que os Biocombustíveis têm um papel importante na mudança imediata de paradigma e o seu potencial não está a ser devidamente explorado. Todo o mercado parece poder esperar os camiões elétricos, mesmo que demorem 10 ou mais anos.

Sejamos realistas. Para os camiões de longo curso não é viável que as baterias pesem 6 toneladas, que os clientes paguem 600 mil euros por camiões que tenham de ficar a carregar de 4 em 4horas as baterias. Talvez daqui a uns largos anos isso mude, mas não esperemos! Os Biocombustíveis estão disponíveis hoje, é preciso uma mudança de mentalidade na Europa.

Temos na Europa mais campos de Golf do que instalações de produção de Biocombustíveis. É uma questão política, mas enquanto Scania iremos defender o que é mais importante para o meio ambiente, e não aquilo que determinados interesses tentem implementar”, declarou Christian Levin, no topo do stand da Scania, em Hannover.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com