SEAT dinamiza utilização do GNC

by on 8 Maio, 2019 in Ensaios / Assessment, Frotas

SEAT dinamiza utilização do GNC

Num cenário macroeconómico em relação à utilização de combustíveis alternativos, a SEAT está à procura respostas exequíveis para as frotas, e procura disponibilizar uma gama de veículos equipados com tecnologia a Gás Natural Comprimido.

Em recente ação realizada em Espanha, a SEAT Portugal proporcionou um contacto mais dinâmico com a sua gama de veículos equipada com motorização a GNC. O objetivo foi demonstrar, em condições reais e num percurso de média distância, as vantagens de utilização deste combustível alternativo, com base nos seus modelos Mii Ecofuel, Ibiza TGI, Arona TGI e Leon TGI, dispondo agora de um modelo, para cada tipologia de cliente.

Frotas são o alvo

Com uma presença cada vez mais alargada nas frotas em geral, a marca SEAT quer reforçar a sua capacidade tecnológica na utilização do GNC como combustível alternativo à gasolina e ao diesel, num momento em que Portugal continua refém de constrangimentos na logística de distribuição de combustíveis fósseis, e a demonstrar ausência de uma estratégia energética, sustentável, para o setor automóvel em geral.

A utilização do Gás Natural Comprimido, preconizada pela SEAT, poderá ser uma solução economicamente sustentável, pelo que procura alargar a sua gama de modelos equipados com este tipo de combustível. Com esta estratégia técnica e comercial, as frotas em geral poderão beneficiar de um combustível alternativo, relativamente acessível, de fácil enchimento, com uma rede bem implementada na península ibérica, e ambientalmente sustentável.

Segundo a marca, um automóvel com motorização a GNC poderá registar até menos 25% de emissões de CO2, em comparação com um equipado com motor a gasolina. Relativamente aos benefícios ecológicos e fiscais, a tecnologia do uso do GNC permite custos de utilização de uma viatura mais competitivos por km percorrido, sendo até 50% mais vantajoso do que um modelo equipado com motor a gasolina e, até 30% mais em conta, quando comparado com um modelo com motorização a diesel.

Terceiro depósito

A grande novidade da atual geração de modelos SEAT equipados com a tecnologia de utilização do GNC prende-se com a introdução do terceiro depósito de armazenamento deste gás. Assim, com maior capacidade de carga, os modelos Ibiza e Arona, a autonomia em modo de utilização do GNC foi alargada para os 360 km, de acordo com as medições da norma WLTP. No modelo Leon, a autonomia é ainda maior, podendo chegar até aos 440 km, em medições WLTP.

A questão da autonomia é fundamental nos automóveis utilizados nas frotas, mas o fator preço da viatura também tem o seu peso nas negociações e no custo de utilização. Neste sentido, a SEAT esforçou-se para comercializar no mercado nacional, modelos equipados com GNC com preços muito similar a um veículo equivalente, equipado com motorização a diesel. Também foi possível melhorar o custo de utilização e de manutenção dos seus modelos equipados com motorização TGI, face aos modelos similares com motor de combustão convencional.

Os modelos Mii Ecofuel, Ibiza TGI e o Arona TGI, utilizam depósitos fabricados em aço de elevada resistência, o Leo 1.5 TGI Evo, vem equipado com um conjunto de depósito em aço de elevada resistência mais pequeno e posicionado à frente do eixo traseiro (foto), e de dois depósitos maiores, localizados atrás do eixo traseiro, em fibra de carbono, proporcionando menor peso.

Em condições normais de utilização, os modelos SEAT equipados com tecnologia GNC apenas recorrem à gasolina, neste caso como combustível alternativo, quando os depósitos de GNC estejam vazios. A passagem de utilização de um tipo de combustível para outro, é praticamente impercetível para o condutor.

Novo Arona TGI

No teste de estrada que realizámos desde Madrid até a cidade de Ávila, o modelo utilizado foi o Leon, com caixa automática, que demonstrou uma performance ajustada às suas qualidades, sendo por isto, um automóvel com grandes recursos para alcançar uma posição de destaque nas frotas. No percurso de regresso, Ávila até Madrid, conduzimos o modelo Arona TGI, que a SEAT intitula como sendo o primeiro SUV a utilizar a tecnologia GNC.

O modelo Arona que testámos, estava equipado com 3 depósitos GNC, proporcionando uma autonomia total estimada de 510 km. Para além da versatilidade do modelo, embora não dispondo de caixa automática, a qualidade geral de construção e dinâmica de condução não foram alteradas com a introdução do 3º depósito. A tecnologia GNC está disponível nos modelos Arona Reference, Style, Xcellence e FR. Com motorização 1.0 TGI de 3 cilindros e 12 válvulas, o Arona dispõe de 90 cv de potência.

A SEAT salienta que a energia gerada por 1kg de GNC equivale a 2 litros de LPG (Gás Liquefeito de Petróleo); 1,3 litros de diesel e 1,5 litros de gasolina. Considerando que  o GNC é mais barato do que o preço do litro do diesel ou da gasolina, é fácil perceber que um modelo equipado com tecnologia GNC é potencialmente mais económico e sustentável, por cada km percorrido.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com