Seat Ibiza 1.0 TGI Xcellence – gás como energia natural

by on 16 Janeiro, 2020 in Ensaios / Assessment, Frotas

Seat Ibiza 1.0 TGI Xcellence – gás como energia natural

Segundo a proposta de Orçamento de Estado para 2020, o governo vai deixar cair o benefício fiscal para a aquisição de Gases de Petróleo Liquefeito (GPL), para abastecimento de veículos. Já os gastos com a aquisição do chamado GNV (Gás Natural Veicular) mantêm a dedução a 120 %, do respetivo montante, para efeitos da determinação do lucro tributável, em sede de IRC e da categoria B, do IRS.

Não, não se enganou e não está a ler a secção de economia de um qualquer jornal generalista. Esta introdução serve apenas para reforçar o investimento da SEAT nos chamados motores TGI, alimentados por GNC, ou seja, a Gás Natural Comprimido.

Uma solução que, além dos referidos benefícios fiscais, acrescenta grandes vantagens económicas para o utilizador, com poupança de até 50% face à gasolina e, também, reduções das emissões de CO2 para o ambiente.

Obviamente que nem tudo são “rosas” e o principal espinho da utilização de viaturas com esta tecnologia, é a escassez de postos de abastecimento pois, neste momento, só temos o adstrito à Carris, em Cabo Ruivo, situação que com uma maior dinâmica por partes das marcas automóveis poderia ser revertida…para benefício dos seus clientes e, também, do nosso ambiente.

Solução

No entanto, atenta ao problema a SEAT encontrou forma de colmatar a questão da reduzida autonomia em modo “gás”, com a adição de um terceiro depósito em cada viatura, permitindo que o modelo Ibiza 1.0 TGI alcance até 360 km de autonomia, com mais cerca de 100 km em modo gasolina.

E qual a sensação de conduzir um Ibiza com motorização a gás? Bem, na prática é igual a conduzir qualquer outro Ibiza equipado com o pequeno motor 1.0 turbo a gasolina. A ligeira perda de potência (menos 5 cv) não é relevante no desempenho geral deste modelo, nem as alterações nas prestações ou na dinâmica do motor, tendo em conta as vantagens em termos poupança no custo do combustível e agradabilidade da condução.

O modelo Ibiza continua a manter um chassis eficiente, que agora é potencializado por um motor TGI de 90 cv, uma combinação excelente para utilização urbana, sendo um automóvel com grandes capacidades técnicas (e qualidades!), para utilização nas frotas em geral.

Se quisermos ser rigorosos na observação da dinâmica do motor, a única diferença que notámos é que, dependendo do estilo de condução e com “cargas” parciais no acelerador, o motor de três cilindros desta versão 1.0 TGI, apresenta uma ligeira diferença de potência face à versão TSI a gasolina.

Conforto e equipamento

No entanto, este pormenor é largamente compensado pela agradável sensação de leveza na condução do Ibiza. Nada que uns dias de convívio não ajudem a diluir. Destaque para a excelente relação conforto/comportamento, aprimorada por vários anos de desenvolvimento deste modelo, que continua a ser um exemplar caso de sucesso da SEAT, sobretudo em Portugal.

Feitas as contas, terminámos o teste do Ibiza TGI com uma média de 5,2 kg/100 km que, na prática, representa um custo de cerca de 5,5€ para percorrer a dita distância, um valor referencial para um automóvel de combustão. O preço de venda é igualmente muito competitivo, cifrando-se nos 20 478€, no caso de o cliente optar pelo nível de equipamento Xcellence.

Resolvido o problema dos postos de abastecimento no nosso pais dos motores alimentados por Gás Natural Comprimido, é válido dizer que este modelo Ibiza 1.0 TGI tem todas as condições técnicas e económicas, para se afirmar como um “player” de peso no segmento, já que combina de forma atrativa, o preço de aquisição de um utilitário a gasolina, com os baixos custos de utilização de uma viatura diesel.

Por: Rui Reis           Texto: Redação

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com