Suzuki Swift – tecnologia ao serviço da mobilidade urbana

by on 8 Setembro, 2017 in Ensaios / Assessment

Suzuki Swift – tecnologia ao serviço da mobilidade urbana

A nova geração do Swift chega ao mercado com ambições de conquistar uma fatia no competitivo segmento dos veículos citadinos, com especial enfoque nas frotas.

A Suzuki, através da sua fábrica na Hungria, desenvolveu um produto onde a tecnologia e eficiência energética são as principais inovações que marcam uma viragem na história deste modelo. O Suzuki Swift 1.2 Dualjet GLX, com motor de 90 cv vem equipado com o sistema semi híbrido SHVS (Smart Hybrid Vehicle by Suzuki), destinado a proporcionar uma maior eficiência no consumo de combustível.

Para realizar o assessment do novo modelo, a Revista Automotive convidou Margarida Sena, responsável de marketing da incadea Iberia, marca do grupo Cox Automotive, um dos principais fornecedores de software e serviços para empresas do mercado automóvel.

“A incadea, enquanto marca e empresa tem sede em Munique e está presente em mais de 100 países. Desenvolvemos um software de gestão para utilizado por mais de 100 mil utilizadores em todo o mundo. Um vasto conhecimento e experiência sobre a indústria automóvel está incorporado no nosso software disponível em 21 línguas, procurando assim ir ao encontro das necessidades de cada mercado”.

“O nosso principal produto é o incadea.dms acompanhado por um módulo de Business Intelligence, que incorpora soluções de CRM transversais a todo o negócio e as melhores práticas do setor.

Foi desenvolvido para o mercado automóvel, segmento onde tem uma grande implementação, visto ser um software muito avançado, mas ao mesmo tempo bastante flexível, e que se adapta com facilidade e compatibilidade com os demais sistemas de gestão”.

Fiquei curiosa quando me convidaram para o assessment de um modelo novo e citadino. Agradou-me a ideia de partir à descoberta dos potenciais de um produto do qual tenho pouco conhecimento e, sendo uma oportunidade única para aprender algo mais sobre a marca Suzuki.

Logo de início devo dizer que gosto da cor cinza mineral metalizada. Apesar de não ser uma novidade, é uma tonalidade que continua atual, conferindo um ar elegante ao Swift, dando a sensação de ser um carro bem maior do que realmente é. Quanto às suas formas, o desenho exterior é agradável e equilibrado, a frente sobressai graças a imponência da sua grelha, mas também pela configuração dos grupos óticos e os faróis em LED”, salientou.

Conforto

Um dos pontos onde os projetistas da Suzuki mais dedicaram atenção foi na conceção do interior da viatura. Isto faz todo o sentido, visto que quando nos deparamos com um modelo urbano a primeira impressão que fica é que o carro somente tem espaço para duas pessoas à frente, e pouco mais. Na verdade, isto não acontece na nova geração do Swift, que proporciona um bom espaço à frente e também no banco de trás, para três passageiros.

Com um olhar feminino e a vivência de quem trabalha com o mundo automóvel, Margarida Sena tem opinião semelhante “o interior é espaçoso, com bons arrumos, e os materiais utilizados são agradáveis ao toque, o que reflete o cuidado da marca com o conforto e bem-estar dos passageiros. A posição de condução também é muito boa, permitindo uma visualização ampla para onde quer que se olhe, o que é um fator positivo para um carro citadino.

A superfície vidrada também foi bem projetada, pois elimina a sensação de claustrofobia que alguns modelos mais pequenos acusam pela ausência de uma boa visibilidade exterior. O tablier está bem desenhado e os comandos, bem posicionados, são de fácil acesso, incluindo aqueles que se encontram no volante. Sou daquelas condutoras que gosta das coisas certas nos lugares certos, e agrada-me o resultado harmonioso do interior deste Swift”, revelou.

Condução

Para competir e ganhar terreno no segmento dos citadinos, a Suzuki também procurou evoluir na unidade propulsora, na dinâmica e performance global do novo Swift. Para tanto, o sistema SHVS auxilia o motor ao utilizar um gerador de arranque integrado ISG (Integrated Starter Generator), que possui uma função de motor elétrico em conjunto com uma bateria de lítio de elevado desempenho, que fornece a energia. A combinação destes dois elementos ajuda a reduzir as emissões de CO2 e o consumo de combustível.

“Agora moro perto do trabalho, mas o meu percurso diário começava em Almada, passava pela ponte 25 de abril, e terminava na sede da Incadea, em Algés. Implicava em passar algum tempo parada no trânsito, e realizar muitos quilómetros de casa para o trabalho. Por este motivo, optei por comprar um carro pequeno, de outra marca, mas que agora vejo que não tem os recursos, conforto e dinâmica que este Swift possui. Ainda por cima, este carro tem uma motorização semi híbrida, o que considero uma inovação para o seu segmento.

Se pudesse, voltaria atrás na escolha. Há dois anos, as opções que encontrei à venda no mercado não tinham as características deste Swift, e confesso que também não tinha a marca Suzuki em linha de conta. Agora considero ser uma opção muito vantajosa, por tudo aquilo que disponibiliza enquanto automóvel, para além de ter um preço que me parecer ser bastante acessível.

Conforto e segurança

É impressionante o conforto deste carro quando passámos por ruas com pisos irregulares. Praticamente não notei as deficiências do terreno. A aceleração é precisa e o motor responde de imediato ao mais leve toque no acelerador. O motor, mesmo as baixas rotações, transmite uma sensação agradável e não nos deixa mal quando subimos as mudanças. A caixa manual é precisa e de fácil manuseamento.

Na passagem que fizemos pela A5, sobretudo na subida de Monsanto, notei que o motor responde com surpreendente potência e, mesmo em regime mais alto, a insonorização interior é constante. Sinto que há uma diferença neste motor sendo notório que a bateria está a ajudar no movimento do carro, quando estamos em baixa rotação.

Os sistemas de auxílio à condução são muito práticos de se utilizar, como por exemplo controlo de velocidade adaptativo que utiliza um radar para medir a distância do veículo situado mais à frente e, automaticamente acelera ou reduz a velocidade, mantendo assim uma distância de segurança.

Tipicamente conduzo com calma, por isso não exagero nas abordagens às curvas. No entanto, gosto de sentir que o carro é seguro. O meu carro tem pouca aderência – principalmente em subidas e quando chove – o que me deixa insegura pois costuma patinar. Notei que este tem boa aderência pelos pneus mais largos (jante 16 polegadas, n.d.r.) e ainda por cima da marca Bridgestone, o que me transmite confiança”.

Tecnologia

O Swift disponibiliza de série dois sensores, composto por uma câmara monocular e um feixe de lazer, para determinar se existe risco de colisão com um veículo ou peão. Perante a possibilidade de colisão, o veículo, dependendo da situação, atua avisando o condutor com um alerta sonoro e visual quando existe a possibilidade de colisão. Adicionalmente, auxilia o condutor incrementando a força de travagem se o risco de colisão é alto e, também, atua sobre os travões automaticamente ao detetar que o risco de colisão é muito elevado.

“Visto que trabalho numa empresa altamente tecnológica, considero ser fator fundamental uma viatura ter conexão com sistema Android ou Apple. Isto é muito importante para a condução do dia-a-dia, quando estamos fora do nosso local de trabalho e precisamos nos manter conectados com a empresa e os clientes. O ecrã táctil é bastante funcional e a compatibilidade com as tecnologias Apple CarPlay e MirrorLink permitem espelhar os aplicativos que temos no smartphone para o carro.

O painel de instrumentos tem um ar desportivo, mas nem por isso agressivo. Os detalhes cromados e pretos conferem-lhe um aspeto jovem. A leitura dos instrumentos é fácil e bastante intuitiva. Gosto de ver o conta-rotações para saber se estou a forçar ou não o motor, e se estou a ter um desempenho de consumo adequado. A informação também é apresentada sob forma de gráficos, o que facilita a leitura. Notei que dispõe de dados técnicos relativos à força G; potência em tempo real; dados de aceleração e travagem; consumos, e o funcionamento do sistema semi híbrido”, muito interessante.

Ideal para frotas

Com a mudança de comportamento e formas de consumo, a compra de viatura ligeiras em Portugal passou para o lado das empresas. São elas que garantem os atuais percentuais de crescimentos das marcas em geral. Neste mercado empresarial, a Suzuki ainda não tem uma grande expressão, embora tenha vindo a subir gradualmente nas vendas às empresas, graças à renovação da sua gama, tecnologia, fiabilidade e preço compatível com o nosso mercado.

Margarida Sena é da opinião que o novo Swift tem condições de ombrear com outros modelos do mesmo segmento, mas sem ficar a perder. “A qualidade de construção deste carro é muito boa e havendo uma boa rede de assistência, a marca poderá conquistar mais clientes junto às empresas. Considero que é um carro ideal para uma equipa comercial, por exemplo. Para além de espaçoso e confortável, é versátil, ágil, dispõe de muita tecnologia e de uma imagem exterior jovem e consensual. Além do mais, tem baixo consumo e emissão de CO2.

Sabendo que a viatura foi lançada em meados de Abril, compreendo que ainda hajam pouco modelos em circulação. Este teste permitiu conhecer uma outra realidade automóvel, e desfrutar de uma tecnologia que não imaginava estar disponível num carro deste segmento.

Este Swift surpreendeu-me em todos os aspetos. Agora tenho uma visão mais positiva da marca Suzuki e também das capacidades técnicas deste modelo que, se for bem trabalhado, poderá vir a ser um produto de boa aceitação sobretudo junto às empresas”, finalizou Margarida Sena.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com