Tiguan Allspace com muito para inspecionar e explorar

by on 6 Março, 2018 in Ensaios / Assessment

Tiguan Allspace com muito para inspecionar e explorar

Assessment do Volkswagen Tiguan Allspace por Carmen Piedade, profissional na área de inspeções.

“Fiquei um bom tempo a olhar de fora este modelo, o exterior faz a diferença e não é à-toa que as marcas investem tanto em grupos óticos, entradas de ar, etc. O carro convida-nos a conduzir.

Todo o interior está bem conseguido, o painel de instrumentos é todo digital e permite vermos o sistema de navegação diretamente, ou seja, ele duplica o que aparece no ecrã central. Aprecio bastante esta função, porque evita de olharmos para o lado para ver as indicações do sistema de navegação, ou para nos orientarmos no mapa. Achei também inovador, a mudança dos menus do ecrã central ser feita com o movimento das mãos apenas com a deslocação do ar, sem ter de tocar no ecrã. É muito diferente do que estou habituada.

Pelo que pude observar, este modelo está cheio de opcionais, mas a verdade é que ficam todos bem. O teto panorâmico de vidro ser, ao mesmo tempo, teto de abrir, é um plus. A abertura do porta-bagagens elétrica, os sensores por todos os lados, a camara de filmar traseira, o cruise control adaptativo, são recursos que facilitam a nossa vida na condução e que depois torna-se difícil abdicar delas…

Sistema 4Motion

O meu marido também trabalha na área automóvel e acompanhou-me neste teste. Além de ter ficado surpreso pela positiva com este Tiguan Allspace, explicou-me como funciona o sistema 4Motion da Volkswagen: não é um sistema de tração que funcione permanentemente às quatro rodas de forma simétrica. É um sistema on-demand, ou seja, a tração em cada eixo funciona consoante a necessidade do veículo. Isto faz com que seja um modelo com tração predominantemente dianteira, o que beneficia os consumos. No entanto, basta que o carro detete uma falha de tração e rapidamente a potência é enviada para o eixo traseiro. O sistema pode enviar 100% do binário para o eixo traseiro.

É interessante este sistema 4Motion, porque permite uma variação grande de modos e tipos de condução: tem dois modos de condução em estrada e dois fora de estrada, e tem quatro tipos de condução, parece confuso, mas não é.

O modo de estrada divide-se em “normal” e “neve e gelo”. No “normal” temos quatro tipos de condução: Normal, Sport, Eco e Individual. Resumidamente, escolher entre cada um deles muda a resposta do acelerador, a rapidez da caixa de velocidades DSG, regime de rotações, entre outros aspetos. No modo “neve e gelo” o acelerador não responde tão rápido – para evitar que numa estrada com gelo o carro patine; a caixa DSG engrena a 2ª velocidade para arrancar, entre outros aspetos.

O modo fora de estrada divide-se em “off-road” e “off-road individual”. No “off-road” é parecido com o modo “neve e gelo” onde o acelerador demora para responder e as passagens e caixa fazem-se com menos rotação. No entanto, podemos passar a caixa de velocidades para o modo sequencial, por exemplo, para manter as rotações altas numa descida para que o motor “segure” o carro.

Por fim, o “off-road individual” permite configurar a precisão da direção, a transmissão (nas tipologias Eco, Normal ou Sport), o controlo de estabilidade, entre outros. Neste modo já é preciso conhecer a condução em fora-de-estrada para se saber o que se quer do carro.

Teste em estrada e fora dela

Depois desta explicação, na prática, os modos de condução ajudam. Gosto de viajar, de conhecer novos lugares e o modo Eco permite viagens tranquilas sem gastar muito combustível – consegui fazer 6.5lt/100km no trajeto entre estrada nacional e autoestrada. Gostei do modo “roda livre” que desengrena o motor para aproveitar a inércia.

Estar no campo faz-me bem também. A minha família tem raízes no campo, na agricultura. Com este carro é possível ir a sítios que só carros com tração integral vão. Pelo que pude experimentar, o Tiguan Allspace desenvencilha-se bem pelos terrenos, mesmo com alguma lama. Não é um 4×4 puro, mas corresponde bem às expectativas.

O facto de ter 7 lugares ajuda, não só nas portagens (classe 1) como também no transporte de mais pessoas. No meu caso não preciso com frequência de transportar tanta gente, e o facto dos 6º e 7º banco não se retirarem (pelo menos não consegui no teste que fiz), faz com que o espaço da bagageira fique reduzido e com peso a mais no carro. Esse é um ponto negativo destes carros de 7 lugares, ficamos “presos” a uma configuração que nem sempre é útil.

No entanto, o 6º e 7º banco são confortáveis, e o espaço não sendo muito, está acima do que esperava para um carro deste tamanho. É que de fora não parece tão grande. Como é um modelo alto, as proporções esbatem-se e parece menor. Aprecio o ar condicionado independente para ocupantes traseiros (o 3º 4º e 5º lugar traseiro). Assim quem vai atrás escolhe a temperatura que quer e não incomoda quem vai à frente.

Visual e fiabilidade

Tendo dito sobre as capacidades técnicas do carro, das tecnologias e do espaço interior, também é preciso dizer sobre o visual. O carro está lindo! À partida a cor cinzenta parecia um pouco “apagada”, mas depois percebi que ela reage com a luz do sol e fica com tons diferentes, com um ar mais jovem. As linhas do carro são bonitas e as jantes são “a cereja em cima do bolo”.

Como estou na área das inspeções, passam muitos carros pelas nossas instalações e acabo por ter uma visão abrangente dos vários modelos. Daquilo que vejo, os modelos do grupo Volkswagen são bastante fiáveis, mas daquilo que me comentam é que as peças de substituição são caras. É sempre difícil avaliar o custo-benefício, mas do ponto de vista de uma frota faz sempre sentido investir em fiabilidade.

Conclusões

É um carro que reflete muito de mim. Gosto de ter uma atitude própria na vida, uma posição de força, mas também gosto de apreciar as coisas boas da vida, e este modelo conjuga muito bem esses aspetos. Acresce o fato de ser um modelo que entende-se bem com o campo, coisa que também me agrada porque, como já disse, apesar de viver no centro de Lisboa tenho uma ligação especial com o campo.

Este Tiguan Allspace tem muito para se explorar, principalmente nos modos de condução onde a variedade de possibilidades é tanta, que falta tempo para as testar todas. Mas também ter um carro que é sempre o mesmo fica monótono, e isso não é para mim. Gosto de estar continuamente a aprender. Por exemplo, neste momento estou a fazer a carta de condução de pesados, é uma área da qual vamos começar a explorar e isso desafia-me.

Agradou-me muito o convite da Automotive para testar este carro, porque tem muito a ver comigo. Não é tanto o status que me importa, mas sim, o desafio das coisas. Apesar deste carro não passar desapercebido por onde anda, não é ostensivo. Tem muito por explorar, é desafiador, aventureiro, com muita tecnologia e isso conquista-me”.

Print article

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com