ACAP – setor automóvel precisa de apoios

by on 22 Maio, 2020 in Frotas

ACAP – setor automóvel precisa de apoios

De forma uníssona, o setor automóvel reclama apoios para compensar a quebra das suas atividades visto que, com as restrições às vendas nos stands e o recuo da economia, o registo de matrículas de veículos novos diminui em 86%, no período de 1 a 14 de abril deste ano, por comparação com igual período de 2019.

Através da ACAP, a entidade que reúne as marcas automóveis e as principais redes de concessionários, os empresários do setor manifestam as suas preocupações com a sobrevivência dos seus negócios.

Segundo Hélder Pedro (na foto à dir.,), secretário-geral daquela associação “na primeira quinzena deste mês de abril, foram matriculados 838 veículos e, no período homólogo de 2019, tinham sido matriculados 6208. Há que ter em consideração que a maioria destas matrículas de 2020, correspondem a encomendas efetuadas antes de 16 de março.

Ou seja, a partir desta data, a queda foi sempre na ordem dos 80%.  No mercado de viaturas usadas, a situação é ainda mais complicada porque, depois daquela data, as vendas estagnaram completamente! Esta situação leva-nos a concluir que o sector automóvel é, sem dúvida, dos mais afetados por esta grave crise”, frisou.

Impostos

Para além das consequências decorrentes deste cenário, que afetam as empresas e os seus trabalhadores em geral, também o estado português acabará por ser atingido, via redução das receitas fiscais. A ACAP estima que naquelas 2 primeiras semanas de abril, o erário público, deixou de arrecadas 15 milhões de euros, de impostos do setor.

Para tentar colmatar o problema, a entidade propôs ao Governo algumas medidas visando minimizar o impacto desta crise e, também, relançar a procura. “Estas propostas reclamam a implementação de um Plano de Apoio ao Sector Automóvel pois, apesar de ser um dos mais afetados, até ao momento, não teve qualquer particular atenção do Governo, tal como aconteceu noutros sectores”, destacou Hélder Pedro.

Incentivos

Entre outras medidas, a associação propõe um aumento, imediato, da linha de apoio à compra de veículos elétricos, com uma dotação aumentada em 100%.

Também solicita a implementação de um plano de incentivo ao abate de veículos em fim de vida, para dinamizar a retirada de circulação de veículos com mais de 12 anos.

“Continuámos a aguardar uma resposta do Governo a nossa proposta de suspensão de pagamento de IUC, bem como, a criação de uma linha de crédito específica para as empresas do sector com uma parte do capital a fundo perdido”, ressaltou o secretário-geral da ACAP.

Estima-se que em Portugal, o sector automóvel como um todo, seja responsável por 21% do total de receitas fiscais, bem como por 25% das exportações de bens transacionáveis; representa 19% do PIB e emprega diretamente 200 mil pessoas.

Texto: Redação Fotos: © Ricardo Miranda/Automotive

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com