Oeiras Valley – um ecossistema único para inovação e desenvolvimento

by on 15 Setembro, 2020 in Frotas

Oeiras Valley – um ecossistema único para inovação e desenvolvimento

Quando tomou posse em finais de 2017, Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras (CMO), tinha como um dos grandes objetivos da sua legislatura, implementar um novo ciclo de desenvolvimento para o concelho. Assim nasce o projeto Oeiras Valley, que apesar de ainda estar no seu primeiro ano de existência, já conta com um impressionante histórico de resultados.

Oeiras é hoje uma cidade que acolhe muitas empresas de base tecnológica, sediadas um pouco por todo o concelho e, particularmente, nos parques empresariais Taguspark, Quinta da Fonte, Lagoas Park, Arquiparque, Parque Suécia, entre outros. Conta com a sede de laboratórios de pesquisa e desenvolvimento e, ao longo dos últimos anos, investiu em melhores acessos viários, mais mobilidade e espaços verdes, criando infraestruturas de excelência, elevando a qualidade de vida dos munícipes e dos não-residentes.

Na entrevista concedida em exclusivo à Revista Automotive, o presidente da Câmara de Oeiras apresenta em linhas gerais, alguns dos pontos basilares do Projeto Oeiras Valley, cujo conteúdo publicamos nesta edição de forma resumida, com maior desenvolvimento no vídeo que realizámos e que brevemente também estará disponível, no nosso canal do Youtube.

Mobilidade

Isaltino Morais explicou que “estamos a dinamizar um amplo programa de construção e de requalificação de novas vias no nosso concelho. Oeiras, nos próximos 3 anos, vai ganhar uma nova dimensão em termos de mobilidade urbana, fruto de um investimento de cerca de 50 milhões de euros, no desenvolvimento de novas vias, entre as quais destaco a Via Longitudinal Norte. Começará na zona do centro Allegro, em Carnaxide, passando pelo Jamor, Queixas e posteriormente Ribeira da Lage, Porto Salvo, culminando próximo de Trajouce (já em Cascais).

Trata-se de uma obra estruturante em termos de mobilidade, que sozinha custará cerca de 80 milhões de euros. As propostas enviadas no âmbito do concurso estão em fase de análise, devendo o projeto ser adjudicado em breve prazo. Esta via é fundamental para o nosso concelho, pois estará posicionada de forma paralela à Autoestrada A5.

Mas, ao mesmo tempo e ainda que de forma faseada, estamos a preparar o projeto para a chamada Via Longitudinal Sul. Ainda está em concurso, tendo por objetivo efetuar a ligação da Ribeira da Lage à portagem de Oeiras, onde inclui-se um novo viaduto (já construído na Quinta da Fonte e que brevemente será inaugurado) havendo ainda uma ligação desde a Quinta da Fonte, até à Cidade do Futebol e Estádio Nacional.

Obras essenciais

Estamos a investir em duas vias de grande importância para melhorar os acessos a Sul e a Norte do concelho de Oeiras. O grande objetivo destas duas obras é descongestionar os acessos da A5. No entanto, convém frisar que, apesar de toda a dinâmica da nossa Câmara, existe alguma complexidade de negociações com a entidade que gere a A5 (Brisa), que no passado criou portagens de acesso ao nosso concelho, de forma incongruente com as necessidades de mobilidade dos condutores que se deslocam à região de Oeiras.

As nossas obras viárias não serão edificadas para dar maior velocidade aos condutores, mas sim, permitir uma melhor fluidez do trânsito a baixa velocidade, com importantes benefícios em termos de segurança rodoviária e pedonal, menor sinistralidade, para além da redução das emissões de CO2 para o ambiente. Menor velocidade com maior fluidez. Está é a nossa meta em termos de mobilidade urbana no concelho de Oeiras.

Não podemos esquecer que o investimento que estamos a realizar em novas vias também afetará, de forma positiva, os transportes públicos. Os autocarros de transporte regular de passageiros e os autocarros que transportam profissionais para as empresas instaladas nos nossos parques empresariais e tecnológicos, também serão beneficiados com estas obras. Qualidade vida e de trabalho, também se conquistam com menos stress no trânsito.

Costumo dizer que quando se trata de realizar obras viárias, o nosso trabalho é semelhante ao de um ourives. Temos de ter em conta muitos aspetos, visando alcançar o resultado desejado, com menor tempo e custo, mas mantendo a qualidade da obra e a sua finalidade principal de servir à população em geral e não apenas a uma determinada parcela.

No entanto, a nossa tarefa nesta área é complexa pois quando temos de intervir nestas vias que circundam o concelho de Oeiras e negociar com as entidades que gerem as vias externas, no caso da Brisa e Infraestruturas de Portugal, as coisas se complicam de sobremaneira, pois não há uma voz de comando. Ao contrário, numa Câmara Municipal, todos podem discutir, mas, em última instância, há sempre um presidente que decidirá e assumirá uma posição pública.

Conforto urbano

Um projeto de interesse público, mas que pela sua dimensão e complexidade não deverá ser concluído nesta legislatura, é o rebaixamento da Marginal, junto ao Jardim de Santo Amaro. Nosso objetivo é que a população possa ter acesso direto à praia, sem os constrangimentos do enorme trânsito que se regista na Marginal.

Pode parecer um romantismo da minha parte, mas tenho uma visão que com esta obra, proporcionaremos uma mobilidade (no caso, pedonal) para que as pessoas possam desfrutar dos jardins municipais de forma mais rápida e segura, e continuem o seu percurso pedonal até o Palácio do Marquês, seguindo para o Parque dos Poetas, Convento da Cartuxa, finalizando na praia de Caxias, por exemplo.

Sempre nos preocupamos com o conforto urbano, dos nossos munícipes. Graças a este posicionamento, Oeiras conseguiu e consegue atrair o investimento de muitas empresas que estão instaladas e geram empregos altamente qualificados no nosso município, atualmente considerado como o segundo maior concelho gerador de riqueza nacional, logo a seguir a Lisboa, e muito à frente das cidades do Porto e de Cascais que não dispõem das empresas que temos aqui sediadas.

Para tanto, estamos a investir na melhoria e na requalificação de equipamentos mais visíveis, como acessos viários, espaços verdes, uma renovação de toda a nossa frota municipal (incluindo as viaturas da Polícia Municipal e da Recolha de Resíduos Urbanos) entre outros serviços. Mas também temos condições únicas enquanto ambiente, como são os casos dos espaços verdes que já representam 15% de toda a área do nosso concelho.

Qualidade

Em termos de desenvolvimento socioeconómico, o Oeiras Valley é o local por excelência para as empresas e entidades que queiram se instalar no nosso concelho. Dispomos de 6 parques empresariais e tecnológicos que, entre outras áreas, abrigam mais de 24 mil empresas, o que nos dá uma média de 526 empresas instaladas por quilómetro quadrado.

Com um elevado índice de escolaridade e de empregabilidade, Oeiras está 56 pontos acima da média nacional em termos de poder de compra. Dispomos de 115 estabelecimentos de ensino, o que nos permite uma resposta de qualidade para todo este singular capital humano que reside ou que trabalha no concelho de Oeiras.

Antes de finalizar, gostaria de salientar que Oeiras Valley é muito mais do que uma insígnia. Toda a nossa equipa, através dos respetivos responsáveis de cada área e operacionais, está focada em melhorar ou criar as condições ideais para tornar o nosso concelho num ecossistema único de inovação, criatividade, ciência, educação, mobilidade, ambiente e de tecnologia em Portugal.

Estamos a trabalhar afincadamente para continuarmos a ser o motor da economia nacional, visto que abrigamos muitas das principais marcas automóveis, grandes empresas de gestão de frotas, empresas transportadoras, de reparação automóvel, de distribuição de peças e equipamentos, nacionais e internacionais. Queremos reter talento, criar melhores condições de acesso, de vida e gerar melhores e mais empregos, visando contribuir para o desenvolvimento social e económico de Oeiras e de Portugal”, salientou Isaltino Morais.

A Revista Automotive agradece também a colaboração do chefe de gabinete do Presidente da CMO, Miguel Carvalho de Faria, pelas diligências realizadas para a concretização da entrevista ao Sr. Presidente Isaltino Morais. Na imagem abaixo: Eduardo Gaspar, diretor da Revista Automotive, entrevista Isaltino Morais.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com