Opel Mokka – recuperar ambiente empresarial

by on 16 Abril, 2021 in Ensaios / Assessment, Frotas

Opel Mokka – recuperar ambiente empresarial

O novo Opel Mokka foi apresentado em Portugal, evento onde a Revista Automotive esteve presente.

Conhecido pela sua polivalência, o novo Mokka apresenta ainda mais argumentos, que o torna um dos melhores automóveis que já conduzimos, sendo certamente um modelo a ter em conta pelos frotistas nacionais.

Com motorizações diesel, gasolina e 100% elétrica, adapta-se aos mais variados e exigentes cadernos de encargo das diversas organizações, que precisam de recuperar as renovações das suas frotas, acompanhando o ambiente empresarial e económico mais favorável.

Habitabilidade

Apesar do novo Mokka ser 12,5 cm mais curto que o modelo anterior, dispõe de um volume de bagageira semelhante, com 350 litros. O espaço para os ocupantes traseiros mantém-se amplo e com uma boa facilidade de entrada/saída, decorrente da sua carroçaria SUV.

O posto de condução é também espaçoso, com um tablier onde o painel central está mais inclinado para o condutor, tornando o ambiente mais envolvente. A tecnologia digital está presente em todo o tablier, desde o painel de instrumentos com dimensões generosas, até ao ecrã central touchscreen. Destaque para o facto de terem mantido os botões analógicos para as principais funções do carro, como a climatização e o rádio, por exemplo.

Os botões analógicos são cada vez mais uma raridade nos automóveis de hoje, mas são elementos que apreciamos pela facilidade e segurança, na sua utilização. No entanto, o Mokka tem também todos os controlos das funções em formato touchscreen, para os apreciadores de tecnologia. O Mokka é o primeiro Opel com o ‘cockpit’ totalmente digital denominado Pure Panel.

Também apreciámos muito o facto de os comutadores estarem posicionados mais acima do que é o tradicional nos automóveis, tornando o movimento de acionar os “piscas”, por exemplo, num mais prático e mais harmonioso com a condução.

Mokka-e

Testámos a versão 100% elétrica do Mokka, o Mokka-e, e as sensações de condução ficaram acima das nossas expectativas. Com o baixo ruido do motor elétrico, os sons exteriores não entram no habitáculo devida uma boa insonorização de todo o veículo. Com motor elétrico de 100 kW (136 cv) e bateria de 50 kWh de capacidade, constatámos uma autonomia de cerca de 310 km, no percurso citadino que realizámos, sem pouparmos no estilo de condução.

Em termos de condução, o Mokka-e dispõe de três modos: Normal, Eco (eficiência aumentada) e Sport (maior dinâmica). Quanto ao recarregamento, este pode ser feito em até 80% em 30 minutos, num posto de carga rápida DC (corrente contínua) a 100 kW.

Mokka a combustão

Nas motorizações a combustão, o Opel Mokka disponibiliza um propulsor diesel 1.5 Turbo D, com 110 v. A versão a gasolina, dispõe de uma motorização 1.2 Turbo, nas potências de 100cv e 130cv. Na apresentação, realizámos o teste da versão gasolina 130cv com caixa automática de oito velocidades. A boa conjugação motor-caixa de velocidades e o baixo ruido do conjunto propulsor, fez-nos quase acreditar que estávamos a conduzir uma versão elétrica.

Em termos de comportamento dinâmico, apesar de fazer parte do Grupo Stellantis, sente-se que tem características de um Opel, isto é, tem um conforto superior no rolar a baixas velocidades, e uma “precisão alemã” na direção quando aumentámos a velocidade em estrada.

Compromisso completo

O Mokka é um modelo bastante harmonioso em todos os parâmetros: habitabilidade, tecnologia, ergonomia, espaço interior, digitalização, capacidade de bagageira, comportamento dinâmico, disponibilidade de motorizações, estrutura SUV, entre muitos outros aspetos e, por tudo isto, assenta bem na frota de qualquer empresa.

Deixamos a estética para o fim, porque neste ponto o Mokka deixa de ser harmonioso para ser glamoroso, sendo o primeiro modelo da marca a ostentar o novo logotipo da Opel. O Mokka tem um visual contemporâneo, conjugado ao mesmo tempo com algumas linhas mais retro – que estarão cada vez mais em moda, nos atuais automóveis. A secção dianteira, denominada “Opel Vizor” agrega a grelha, os faróis e o logótipo da marca num único módulo.

Disponível para encomendas em toda a rede de concessionários Opel do país, as primeiras unidades do Mokka chegam já em abril, com preços a partir de 21.100 euros para as versões a combustão, e com o Mokka-e a partir dos 36.100 euros.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com