Resicorreia – novo centro de receção de pneus

by on 20 Julho, 2020 in Pós-Venda

Resicorreia – novo centro de receção de pneus

A Revista Automotive foi conhecer um dos mais recentes Centros de Receção de pneus usados da Valorpneu, a empresa Resicorreia, localizada na Sertã.

Jorge Correia, administrador da Resicorreia, conta-nos as razões de ter investido num Centro de Receção, e dá-nos a conhecer um pouco das atividades e o vasto historial da empresa na área dos resíduos, em Portugal.

“Comecei a trabalhar muito cedo, no início dos anos 80 quando eu e o meu irmão ajudávamos o nosso pai na sua pequena atividade comercial, que consistia na compra de ovos aos particulares e às empresas desta região para, depois, vendê-los em Lisboa às pastelarias. No regresso à Sertã, comprava ferro velho para revender às serralharias e aos ferreiros da nossa região.

Entretanto, eu e o meu irmão nos apercebemos que existia uma oportunidade para também vendermos óleo usado às padarias que, depois de filtrado, era utilizado na queima dos fornos. Apresentámos essa ideia ao nosso pai, que de início foi contra. Era um material difícil de transportar e sujava muito as viaturas.

Mas, com o tempo e alguma insistência, conseguimos convencê-lo, comprámos um camião e começámos o nosso negócio. Quando completei 18 anos criei, com a ajuda do meu irmão, a empresa Correia & Correia.

Fomos crescendo progressivamente, aumentámos o número de viaturas operacionais, bem como de motoristas e mudámos de instalações. Ampliámos as nossas atividades para o serviço de limpezas industriais e também de separadores, mas sempre ligados aos resíduos perigosos.

Chegámos ao ano 2000 com a Correia & Correia em pleno, já com a recolha de variados resíduos entre os quais se destacava a quantidade de 13 mil toneladas/ano de óleo usado. Na época, uma empresa queria implantar-se na reutilização dos óleos usados para fabricação de um combustível, e para isso adquiriram uma parte do capital da nossa empresa Correia & Correia.

Génese da atual empresa

Em 2003 tivemos a infelicidade do falecimento do meu irmão e, decidi vender-lhes o restante da Correia & Correia em finais de 2004. Em janeiro de 2005 criei do zero a Resicorreia, comprei um terreno, construí instalações, adquiri camiões, contratei funcionários e assim por diante. A minha filosofia é reinvestir sempre no negócio, ampliando progressivamente, com a cautela necessária, visando a sobrevivência da empresa.

Ultrapassámos diversos desafios ao longo do tempo e hoje, atuamos em todo o país, com capacidade de resposta para todo o tipo de recolha de resíduos e limpezas industriais Para isso, contamos com instalações especializadas, funcionários formados e uma frota de mais de 40 viaturas e respetivos equipamentos, específicos para o desempenho seguro das nossas atividades.

Para a gestão de resíduos na zona de Lisboa e Vale do Tejo, dispomos de uma instalação em Loures, autorizada para funcionamento desde maio de 2019, com gestão de frota própria e armazenamento de resíduos. Também em termos de certificações, estamos certificados pela APCER, desde fevereiro de 2019, no âmbito da qualidade e ambiente.

Primamos por uma imagem cuidada, inclusive na decoração dos camiões onde utilizamos uma cor mais vibrante – o amarelo. O tom amarelo, para além de nos diferenciar, faz honrar o primeiro camião que tivemos na Resicorreia que era pintado de amarelo. Nos últimos anos, continuamos a investir e a desenvolver o nosso negócio, sempre com os olhos postos no futuro da nossa empresa e dos nossos colaboradores.

Entrada na Valorpneu

No ano passado entendemos que devíamos diversificar os nossos serviços, para outras áreas ligadas aos resíduos, neste caso os pneus usados. Isto porque tínhamos muitos clientes que precisavam de escoar os seus pneus usados. Os pneus vêm também no seguimento da nossa atuação no setor automóvel, onde trabalhamos com várias fábricas de componentes automóveis e, inclusive concessionários, no âmbito da recolha de resíduos e limpezas industriais onde se incluem todo o tipo de separadores, tanques, tubagens, grelhas, máquinas, entre outros.

Assim, em dezembro de 2019 conseguimos a aprovação pela Valorpneu para atuarmos como Centro de Receção de pneus usados e, começamos a receber os primeiros pneus, já em fevereiro deste ano.

O Centro de Receção de pneus usados está localizado nas nossas instalações na Sertã, onde recebemos os pneus usados dos produtores (empresas), e até mesmo de alguns particulares. No caso dos particulares é apenas em casos específicos e quando justificado. Alguns clientes solicitam-nos o transporte dos pneus usados, mas esse transporte já é feito no âmbito da Resicorreia dispor de um alvará de transportador.

De salientar que enquanto Valorpneu somos Centro de Receção, estando a Engª. Céline Antunes, nossa funcionária, na coordenação dessa operação, uma profissional com mais de 10 anos de experiência em Sistemas de Gestão e mais de 13 anos de experiência na área dos resíduos.

Investimento em infraestruturas

No âmbito do Centro de Receção de pneus usados, investimos num espaço específico para os pneus, dividindo-os fisicamente com blocos de cimento entre Ligeiros; Pesados; Dimensões Superiores; Danificados e Maciços.

Como já temos experiência com o tratamento de outros resíduos, a gestão dos pneus passou a ser mais uma valência que temos e não mais uma complexidade para gerir. O processo de candidatura à Valorpneu foi bem acompanhado e terminou com sucesso, bem como os processos de reportar as informações à Valorpneu, que têm sido eficientes.

Mesmo o contacto diário com os produtores de pneus usados é facilitado por procedimentos já testados pela Valorpneu, que também acompanha com proximidade a evolução dos produtores. Devido à nossa atividade nos resíduos, trabalhamos com vários sistemas e, posso dizer, por experiência, que a plataforma da Valorpneu tem sido muito fácil de se utilizar.

Criámos um espaço de raiz para manter os pneus usados dentro da Resicorreia, ao construirmos muros, realizarmos divisórias em betão, entre outros. Também adquirimos uma máquina de manuseamento Sennebogen 821M, que permite um peso operativo acima das 20 toneladas.

Proteção do ambiente e futuro

Os pneus usados estão depositados no asfalto, a escoar para um separador de hidrocarbonetos.   A empresa possui ainda uma ETARI interna.Desta forma, ficam retidos os possíveis resíduos dos pneus usados, dos fluidos da máquina que está a operar os pneus, ou dos veículos que vêm trazer os pneus usados ao nosso Centro de Receção.

Devido à pandemia do Covid-19, houve restrições nas entregas em destino final, mas fizemos a primeira entrega durante esta semana tendo corrido de forma tranquila. Também somos nós que realizamos o transporte desses pneus, em outra valência da Resicorreia, com viaturas específicas. Os destinos dos nossos pneus usados serão a Biogoma e a SGR, empresas que já conheço através das reportagens publicadas na Automotive.

Gostava de referir que falei da evolução da empresa na primeira pessoa, para que se perceba a sua génese, mas ela é muito mais do que o meu esforço enquanto profissional: a Resicorreia é o fruto de uma equipa competente e trabalhadora que me tem acompanhado ao longo do tempo.

Somos mais de 30 funcionários na empresa, e todos têm tido um papel fundamental naquilo que é hoje a Resicorreia. Estamos a investir em muitas outras áreas e em infraestruturas, pelo que teremos mais novidades em breve para divulgar” conclui Jorge Correia, na imagem principal com os seus filhos João Correia (à esq.) e Rafael Correia (à dir.).

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com