Reta final – DAF lidera, Volvo recupera e Scania…desespera!

by on 2 Novembro, 2020 in Pesados

Reta final – DAF lidera, Volvo recupera e Scania…desespera!

Na “reta final” para terminar o ano de 2020, a DAF assumiu a liderança em Portugal nos camiões novos, com base nos números divulgados pela ACAP e referentes ao período de janeiro a outubro. O total de camiões novos matriculados no período em análise apresenta uma queda de 31,8%, face ao ano de 2019.

Nesse cenário, a DAF consegue a liderança no mercado nacional, ao totalizar 632 camiões novos matriculados até ao momento, com um ganho de quota de mercado de quase 4 pontos percentuais (pp), face ao ano passado (de 18% para 22%).

Em segundo lugar está a Volvo, que nos últimos meses tem subido no ranking, com um total de 429 camiões matriculados de janeiro a outubro. Em termos de quota, apresenta um ganho de quase 3pp. A MAN, que liderou durante vários meses em 2020, agora ocupa a terceira posição com um total de 406 camiões vendidos, com um ganho de quota a rodar os 4pp, face ao ano anterior.

Apesar de estar no 5ºlugar do ranking nacional, a Iveco é a única marca que não apresenta uma queda nas matriculações face ao ano anterior, mantendo-as praticamente estáveis no período em análise: 315 camiões em 2020, face a 314 em 2019. Num momento onde este setor retrai em mais de 30% nas vendas de camiões novos, para a Iveco é praticamente uma vitória conseguir manter os números do ano anterior, ao que se soma um ganho de cerca de 3pp na quota de mercado total.

Mercedes e Scania em queda

Quanto às maiores quedas, já temos vindo a noticiar o declínio constante da Mercedes-Benz Camiões em 2020, que já totaliza uma retração de 57,6% nas suas matriculações, face ao mesmo período do ano anterior (244 em 2020, face a 575 em 2019).

Por fim, embora ainda mantenha o 4 lugar do ranking, a Scania em 2020 está a matricular quase um terço dos camiões que matriculou no ano passado: 348 em 2020, face a 904 em 2019. A marca está a cair o dobro da média do mercado, tem a maior queda nas matriculações totais (-62%) e também a maior perda de quota de mercado de todas as marcas (-9 pontos percentuais).

Com dois meses ainda para terminar o ano é possível (mas não muito provável…) que estes números se alterem, tendo em conta que é um dos grandes momentos das empresas renovarem as suas frotas. Esperamos assim que os próximos meses sejam mais animadores, especialmente para aquelas marcas que apresentam maior queda, para que as suas equipas comerciais entrem em 2021, com um pouco mais de ânimo.

Print article

WP to LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com