Yokohama Sucursal Portuguesa – plataforma estratégica ibérica

by on 29 Julho, 2021 in Pós-Venda

Yokohama Sucursal Portuguesa – plataforma estratégica ibérica

Localizada na Zona Industrial Varziela, Árvore, em Vila do Conde, a Yokohama Ibérica Sucursal Portuguesa desempenha um papel de relevo na estratégia de distribuição de pneus em toda a península ibérica.

A sua proximidade com o Porto de Leixões, os bons acessos rodoviários e o seu amplo e funcional armazém logístico, são fatores que lhe conferem um posicionamento ímpar na dinâmica comercial da marca. A sucursal portuguesa da Yokohama, que tem à frente Elisabete Figueiredo (foto abaixo), como responsável pela unidade de Vila do Conde, conta com uma equipa de 15 pessoas.

Dimensão

Com mais de 100 anos de história, a Yokohama é um fabricante japonês de pneus, sendo fornecedor de referência para grandes marcas automóveis. O seu portfólio inclui pneus para veículos ligeiros de passageiros, comerciais ligeiros, furgões, camiões, autocarros, pneus maciços para estaleiros de obras, pneus para viaturas de todo-o-terreno e, também, pneus para o desporto motorizado, onde a sua marca Advan tem um grande historial.

A presença da marca e dos pneus da Yokohama nos desportos motorizados visa transferir os desenvolvimentos técnicos da alta competição automóvel, para os clientes do dia-a-dia. Assim, a marca fornece e patrocina há décadas o Campeonato Mundial de Turismo da FIA, o Grande Prémio de Fórmula 3 de Macau e muitas outras séries internacionais com os seus pneus Advan.

Evolução do mercado

Em conversa com a Revista Automotive, Víctor Manuel Cañizares, board member da Yokohama Ibéria S.A., destacou a contínua evolução da marca em Portugal e em Espanha.

Víctor Cañizares referiu que “o mercado dos pneus novos na península ibérica registou alguns momentos de contração durante os picos da pandemia, em decorrência da diminuição da mobilidade das pessoas. Contudo, a Yokohama Ibéria sempre se manteve ativa e aberta na distribuição de pneus para os seus clientes, garantindo o fornecimento de produtos para as frotas de transportes de mercadorias, ambulâncias, viaturas de assistência médica, bombeiros e também para as viaturas do Exército em Espanha.

A modalidade do teletrabalho, hoje praticada por muitas empresas, já havia sido adotada pelas equipas administrativas da Yokohama Ibéria, muito antes do início da pandemia, pois era uma medida de gestão necessária a uma nova realidade laboral. Quando se iniciou a pandemia, com obrigatoriedade do teletrabalho, a Yokohama Ibéria já levava alguns meses de avanço nesta medida, adotada desde a segunda metade de 2019.

Se por um lado o teletrabalho reduziu a quilometragem efetuada pelas pessoas nas suas deslocações casa-trabalho-casa, por outro lado, impulsionou as deslocações automóveis de proximidade, mobilidade que veio equilibrar o consumo de pneus novos. Também não podemos esquecer que muitas pessoas, com medo do contágio, evitaram os transportes públicos, privilegiando a utilização dos seus automóveis.

Procura estável

Com base nos primeiros 5 meses deste ano, notámos uma procura estável no consumo de pneus. Contudo, e em sentido inverso, regista-se uma rutura no fornecimento de pneus nos principais mercados mundiais, incluindo naturalmente a Europa, em virtude de uma acentuada diminuição na reposição de stocks, em decorrência da falta de matérias-primas nas fábricas de pneus.

Algumas fábricas tiveram que reduzir as suas produções durante a pandemia, e ainda não foram capazes de retomar em pleno as suas atividades, o que afeta toda a cadeia de consumo. Praticamente toda a industrial mundial, e não apenas os fabricantes de pneus, estão a ter problemas na aquisição de matérias-primas.

A juntar-se a estes problemas, também se regista uma falta de contentores, sobretudo nos mercados asiáticos, para o transporte de mercadorias, o que vem agravar ainda mais o normal funcionamento das empresas. Estes constrangimentos na cadeia produtiva e na logística, que também atinge o mercado de pneus, levará a um inevitável aumento de preços dos produtos em geral.

Como a Yokohama dispõe de uma boa variedade de produtos e de uma boa gestão de custos, conseguimos minimizar os aumentos de fábrica, aplicando uma ligeira subida nos preços dos pneus de determinados segmentos. Naturalmente tivemos que reduzir alguns custos operacionais, como foi o caso da mudança das nossas instalações em Espanha, para um espaço mais rentável.

Turismo e camiões

Os clientes da Yokohama, na península ibérica, são históricos e muito fidelizados à nossa marca. Cerca de 85% das nossas vendas são baseadas em pneus para veículos ligeiros, comerciais ligeiros e 4×4, sendo que os restantes 15% das nossas vendas são de pneus de veículos pesados, camiões e autocarros sobretudo. A Yokohama Ibéria é abastecida a partir das fábricas localizadas no Japão, Rússia (onde se produz pneus de turismo e 4×4), Filipinas e Tailândia.

A sucursal da Yokohama em Vila do Conde é o nosso hub ibérico, onde rececionamos os pneus das nossas fábricas que, posteriormente, são distribuídos por toda a península. O mercado português está bastante maduro, ativo e adaptado às dificuldades, o que permite respostas rápidas às alterações da economia. Neste momento, todos os nossos clientes do canal tradicional estão a responder de forma positiva, ajustando os seus métodos de trabalho a uma nova realidade. Prevemos lançar novos pneus de turismo e 4×4 no segundo semestre, o que nos dá confiança para projetarmos um bom ano de atividades em 2021”, finalizou Víctor Manuel Cañizares.

Print article