Exportações de componentes automóveis aumentam

by on 11 Julho, 2022 in Frotas, Pós-Venda

Exportações de componentes automóveis aumentam

De acordo com os dados divulgados hoje pela AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, as exportações de componentes automóveis registaram no mês de maio, uma subida de 11,4%, face ao mesmo período de 2021, situando-se nos 808 milhões de euros.

Relativamente à evolução das exportações acumuladas de componentes automóveis, há aqui uma diminuição de 4,7% face ao mesmo período de 2021, que até maio atingiram os 3.884 milhões de euros.

Top five

Entretanto, e analisando as exportações de componentes automóveis por país, Espanha mantém-se líder deste top 5 com vendas de 1.094 milhões de euros (-9,4%), seguida pela Alemanha com 844 milhões de euros (+5,1%). Na terceira posição está a França, com 405 milhões de euros (-19,9%), os Estados Unidos da América estão no quarto lugar com 238 milhões de euros (+41,4%) e, finalmente, na quinta posição surge o Reino Unido, com 166 milhões de euros (-18,1%).

Este top 5 de países continua a representar 71% das exportações portuguesas de componentes automóveis.

Dos resultados apresentados entre janeiro e maio, destaca-se positivamente os comportamentos das exportações para a Alemanha (2º país cliente dos componentes fabricados em Portugal), que registaram um aumento de 5,1%, e o facto dos Estados Unidos da América manterem a 4ª posição no top dos países clientes das exportações de componentes automóveis.

Conjuntura

No que se refere aos pontos negativos, prendem-se com o facto das exportações para Espanha terem registado uma queda de 9,4% face ao acumulado até maio de 2021, assim como as de França, que diminuíram 19,9% e as do Reino Unido que também caíram entre janeiro e maio de 2022.

Para além destas situações, os problemas nas cadeias de abastecimento continuam a afetar toda a indústria automóvel, assim como o conflito entre a Ucrânia e a Rússia que, tudo junto, tem vindo a impedir o caminho da recuperação no setor. Os cálculos da AFIA têm como base as Estatísticas do Comércio Internacional de Bens divulgadas a 11 de julho pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

Print article